Claudio Lamachia, presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (#oab), declarou durante o velório do ministro #Teori Zavascki, neste sábado (21), que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, seja responsável por assumir o processo de homologação das delações da empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato, para que o procedimento não seja atrasado, pois o termino é previsto para fevereiro.

Distribuição de tarefas entre os membros da corte

Lamachia declarou que a presidente do STF e os membros da corte deveriam dar continuidade imediata nos depoimentos dos delatores. A própria #Cármen Lúcia poderia cumprir essa nova etapa que ainda falta no processo de homologação das delações, mas que o fato é algo que deve ser examinado de uma forma técnica.

Publicidade
Publicidade

Ainda afirmou que gostaria de ver o processo nas mãos de um ministro com as mesmas características do falecido, Teori Zavascki, mas deveria existir uma redistribuição da relatoria da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal de forma mais republicana, por meio de um sorteio eletrônico, entre todos os ministros da corte. E ainda disse com convicção que o próprio Teori aprovaria esse meio de redistribuição dos processos.

Possível interferência e atraso nos processos

Ainda, segundo o presidente da OAB, caso um substituto para Teori Zavascki assumisse os relatórios da Operação Lava Jato no STF, acabaria atrasando todo o processo e também poderia abrir suspeitas para interferências e alterações políticas nos documentos das delações, pois o ministro a ser nomeado será indicado por pessoas que foram denunciadas e citadas nas investigações da Lava Jato, não seria correto que exista a possibilidade de qualquer ilicitude nos procedimentos na qual favoreça algum dos citados.

Publicidade

A morte de Teori Zavascki

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator da Operação Lava Jato, Teori Zavascki, foi vitima de um acidente de avião na última quinta-feira (19), em Paraty, no Rio de Janeiro. O ministro estava acompanhado de mais quatro pessoas: o piloto Osmar Rodrigues, 56 anos, o dono da aeronave e do grupo Emiliano Empreendimentos, Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, 69 anos e mais duas passageiras.

O corpo de Teori foi velado e enterrado neste sábado (21), várias figuras políticas compareceram na cerimônia e prestaram suas homenagens.