A grande polêmica levanta já no início da administração municipal de São Paulo, vem alcançando novos patamares. O prefeito João Doria, através de seu programa "Cidade Linda", determinou que várias pichações em monumentos públicos e em importantes avenidas de São Paulo, fossem apagadas. A ação, no entanto, também alcançou a alguns murais, principalmente onde estavam pintados grafites, ou seja, desenhos realizados por alguns artistas dessa área de #grafite em específico. O programa "Cidade Linda", tem como objetivo, "limpar" a cidade de São Paulo, no que diz respeito, `ações de pichadores, que continuam a enfrentar as autoridades da cidade.

Reação exagerada

De acordo com o secretário de Cultura da cidade de São Paulo, André Sturm, houve uma reação superdimensionada, se caracterizando por ser demasiadamente "exagerada" por parte de grafiteiros, principalmente em redes sociais, contra a remoção das pinturas na avenida 23 de maio.Vale ressaltar que o prefeito Doria, determinou que os grafites fossem apagados, já que segundo ele, muitos já se encontravam passíveis de deterioração.

Publicidade
Publicidade

A decisão de João Dora, tem como principal intuito a revitalização dessas áreas. Segundo o secretário André Sturm, que também foi ex-diretor do MIS (Museu da Imagem e do Som), houve, de modo "desnecessário", um "superdimensionamento desse tema", ressaltou o secretário. Ele foi ainda mais enfático ao afirmar que "não é que havia ali um afresco pintado pelo padre José de Anchieta, há 400 anos, o que seria uma relíquia na cidade", ironizou a reação de grafiteiros e seus apoiadores.

André Sturm explicou ainda que o fato de a parede antes grafitada, estar agora com uma tinta cinza sobre os murais, está incluso na natureza do que significa o grafite: "um dia, aquela imagem vai apagar", concluiu. Outro projeto da Prefeitura de São Paulo, que está sendo vista como muito positiva, é o anúncio de que vários equipamentos públicos utilizados na área cultural, poderão ser geridos por organizações sociais.

Publicidade

Os recursos poderão, de certa forma, serem usados sem que haja um rigor excessivo, através de procedimentos impostos por órgãos públicos. Um exemplo de uma situação considerada "infeliz", ocorrida durante a administração do petista Fernando Haddad, resultou em aproximadamente R$ 15 milhões desviados do Teatro Municipal de São Paulo, o que, em tese, esse tipo de prejuízo poderá ser combatido. #João Dória #Governo