O ex-governador do #Rio de Janeiro, Sérgio #cabral, se desentendeu com o seu ex-secretário de Obras Hudson Braga. Eles chegaram a "bater boca" e o clima que já era quente no #Presídio pelo forte calor dos últimos dias, aumentou ainda mais dentro da cela. O fato aconteceu na semana passada, mas repercutiu na imprensa nesta sexta-feira (06).

Cabral exigiu lealdade de Braga, após descobrir, por intermédio do jornalista Ancelmo Gois, que o ex-secretário dava sinais de fazer a sua delação premiada. Braga não gostou da reação de Cabral e rebateu as falas do ex-governador.

No final da discussão, Cabral acalmou os ânimos e disse que se fosse para realizar a delação, ele mesmo coordenaria os entendimentos do grupo.

Publicidade
Publicidade

Pânico do casal

Após a tragédia ocorrida no presídio Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), no Amazonas, um grande pânico tomou conta do ex-governador e de sua mulher. Eles estão presos no Complexo Penitenciário de Bangu, Rio de Janeiro e temem que ocorram rebeliões lá também. As mortes por decapitação, com requintes de crueldade, chamaram a atenção deles.

Um dos maiores sofrimentos do casal, é estarem no mesmo Complexo e não conseguirem se ver. Ele está na cadeia Pedrolino Werling de Oliveira e ela na ala feminina.

Viagens

A vida do casal mudou drasticamente nos últimos meses. Segundo informações, durante seu mandato, que foi de janeiro de 2007 à março de 2014, Cabral realizou 24 viagens internacionais, totalizando 126 dias no exterior. Se formos juntar com as viagens oficiais que ele necessitou realizar em seu governo, chegamos a um número surpreendente.

Publicidade

Ele ficou 343 dias fora do País, apenas viajando. Quase 1 ano.

Todas essas informações fazem parte da Operação Calicute, que proporcionou, em novembro do ano passado, a prisão do ex-governador por benefícios irregulares e recebimento de propinas de obras públicas.

Os investigadores acreditam que a saída de Cabral para o exterior pode ser decorrente de contas que ele possui em outros países juntamente com a ex-primeira dama Adriana Ancelmo.