Não é exagero dizer que o deputado federal e candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSC/RJ) é o maior inimigo da esquerda brasileira nos dias de hoje. Os confrontos, porém, não são atuais.

Ao longo dos últimos anos, Bolsonaro se envolveu em diversas polêmicas com esquerdistas. Confira abaixo alguns destes momentos e veja quais foram as personalidades ou anônimos que sofreram nas mãos – e nas palavras – de Bolsonaro.

Thammy Gretchen

Durante uma edição do “Programa Raul Gil”, exibido nas tardes de sábado pelo SBT, #Jair Bolsonaro participou de um quadro onde respondia perguntas feitas por convidados do programa.

Publicidade
Publicidade

Durante a conversa sobre segurança pública, Thammy perguntou a Bolsonaro se a guerra tem que ser resolvida com guerra. “Você quer um crime lá no morro do Rio de Janeiro com flor. Se você quiser, eu arranjo junto com a Polícia Militar para você fazer uma incursão lá”, disse o deputado. Thammy ficou sem resposta.

Maria do Rosário

Em 2003, Bolsonaro se envolveu naquela que talvez seja a maior polêmica de sua carreira política. Em um bate-boca com a deputada federal Maria do Rosário (PT/RS), Bolsonaro disse que ela não merecia ser estuprada depois de ter sido comparado a um estuprador. A polêmica repercute até hoje.

Luiz Inácio Lula da Silva e #Dilma Roussef

Em uma entrevista, Bolsonaro ironizou do ex-presidente Lula. “Me perguntaram se eu estou preparado (para ser presidente). Eu disse bota o Lula ali, a Dilma lá e aplica a prova do Enem para nós três.

Publicidade

Se eu não tiver uma nota maior do que os dois, eu não estou preparado”, disse.

Franklin Martins

Ex-jornalista da Rede Globo e ex-ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social no governo Lula, Franklin Martins não escapou das críticas de Jair Bolsonaro. Durante um discurso no Congresso, o deputado pediu para que Franklin Martins fosse tirado do armário (veja no vídeo abaxo de Tarso Genro).

“Ele deveria mostrar para nós aqui como ele sequestrou o embaixador americano [Charles B. Elbrick, em 1969] e vamos punir o Franklin Martins. Sequestro é crime de tortura ou não é?”.

Tarso Genro

No mesmo discurso, Bolsonaro atacou o então ministro Tarso Genro. “Para de ser fanfarrão, deixa de ser moleque, Tarso Genro”, afirmou, depois de dizer que o ministro era defensor do Movimento dos Sem Terra (MST), ligado às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e pertencia ao Foro de São Paulo.

Estudantes esquerdistas

Jair Bolsonaro foi cercado por estudantes esquerdistas e respondeu a tudo o que foi perguntado. Um das garotas, de 15 anos, bissexual, foi quem mais fez perguntas ao deputado. Bolsonaro mostrou-se contrário ao kit gay, falou que não critica homossexuais. Apesar da discussão, os dois lados se respeitaram e não houve troca de insultos nem de xingamentos.

#Direita x esquerda