Marisa Letícia Lula da Silva, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, era descendente de uma família de italianos, filha de Regina Roccoera a penúltima de 15 irmãos. Até 1955, a família morou em um sitio em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e depois desta data, suas irmãs precisaram trabalhar em uma tecelagem, obrigando a família a se mudar para o bairro Assunção. Residiam em uma casa onde sequer tinham água encanada.

A Marisa criança começou a trabalhar cedo, aos 9 anos de idade como babá em uma casa de família. Aos 13 anos, tirou uma carteira de trabalho especial para que pudesse trabalhar em uma fábrica de bombons, onde permaneceu por oito anos.

Publicidade
Publicidade

O pai era severo, não permitia saídas e encontros sociais. Assuntos sobre política eram proibidos em casa. Ela, a mais rebelde das filhas, foi casada por duas vezes: com o pai de seu primeiro filho, um taxista morto a tiros que a deixou grávida de Marcos Claudio, que anos mais tarde veio ser adotado pelo atual marido Lula, com quem permaneceu casada até esta quinta-feira (2), por 42 anos e 8 meses.

Lula e Marisa conheceram-se em decorrência dos trâmites legais para que ela pudesse receber a pensão do marido falecido. Lula atendia em um sindicato onde Marisa precisava conseguir uns documentos. Ele também havia ficado viúvo, apaixonou-se e prolongou os procedimentos do encaminhamento da pensão para que tivesse tempo de uma aproximação.

Sempre ao lado do esposo

Sempre apoiando e de maneira discreta no que dizia respeito ao meio político, foi Marisa quem em 1980 confeccionou a primeira bandeira do partido em função da sua fundação.

Publicidade

Quando Lula foi preso junto com outros sindicalistas e a sede do PT interditada, abriu a sala de sua casa para organizar passeatas e protestos com a participação de esposas e filhos de outros metalúrgicos. No entanto, Marisa foi contra a candidatura de Lula à Presidência da República. Ela não acreditava que a oposição o deixasse chegar à Brasília e temia que a família viesse a sofrer represálias.

Nos últimos tempos, longe da Granja do Torto, foi indiciada como uma das rés da investigação da Lava jato, fato apontado pelos petistas e simpatizantes como motivo para a piora seu estado de saúde. Quanto a isto, Marisa preferiu se abster de fazer comentários publicamente.

Aos 66 anos de idade, a ex-primeira-dama foi internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, no dia 24 de janeiro passado com um quadro grave de #avc hemorrágico (acidente vascular cerebral). Marisa foi submetida a um exame no qual constatou-se falta de irrigação cerebral. A família, assim que notificada, autorizou a retirada de órgãos para doação, o que ocorreu nesta quinta-feira (2). #Marisa Letícia #mortedeexprimeiradama