Segundo o líder do Partido dos Trabalhadores (#PT) na Câmara, deputado Carlos Zarattini, de São Paulo, as investigações da Operação #Lava Jato foram determinantes para que a ex-primeira dama Marisa Letícia sofresse o AVC que acabou causando sua morte, confirmada nessa quinta-feira (02).

Segundo palavras do deputado federal, “temos certeza que contribuiu para esse AVC toda a pressão que ela sofreu”, citando ainda que a perseguição da Lava Jato e a interminável tentativa de incriminar o ex-presidente Lula e seus familiares levaram a uma situação de pressão extrema que culminou com o Acidente Vascular Cerebral.

O parlamentar criticou a Operação Lava Jato, afirmando que a mesma não tem critério nas investigações e que tudo não passa de uma tentativa de desestabilizar uma possível candidatura de Lula ao próximo pleito presidencial em 2018.

Publicidade
Publicidade

Comentou ainda que nada foi provado sobre as acusações e que Marisa foi muito mais do que uma primeira dama, mas uma militante e companheira de luta do PT.

Internautas reagiram rapidamente à declaração

O falecimento de Marisa Letícia se tornou alvo de embates ideológicos e monopolizou as redes sociais nesta quinta-feira. A declaração do deputado petista acirrou ainda mais os ânimos dos usuários de diversas redes sociais. Em sua grande maioria, os internautas condenaram a declaração do deputado e relembraram que a esposa de Lula era investigada juntamente com o marido por diversas irregularidades.

O ex-presidente não citou a Operação Lava Jato nominalmente, mas declarou que a esposa sofria pressões e que a tensão da situação fez Marisa chegar ao ponto que chegou. Disse ainda que “não vai ficar chorando pelos cantos” por isso e que a luta continua.

Publicidade

O velório de Marisa Letícia está marcado para a noite desta quinta-feira, em são Bernardo do Campo, cidade de origem da ex-primeira dama e base eleitoral de Lula e de grande parte do partido. Ao longo do dia, diversos políticos se manifestaram sobre o falecimento de Marisa e muitos confirmaram presença no cortejo fúnebre. #Política