#Paulo Henrique Amorim, apresentador do “Domingo Espetacular”, da Record TV, causou nova polêmica nesta quinta-feira (2). O jornalista publicou em seu canal no Youtube um vídeo de quase três minutos em que afirma que Sérgio Moro é o culpado pela morte da ex-primeira-dama dona Marisa Letícia.

“Dona Marisa já está na conta do juiz Moro. Foi um AVC Político”, afirma o jornalista na abertura do vídeo.

Em seguida, Paulo Henrique Amorim leu um texto que foi postado no site “Conversa Afiada” no dia 25 de janeiro, um dia depois que a ex-primeira-dama foi internada vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) no Hospital Sírio Libanês.

Publicidade
Publicidade

No texto, o jornalista diz que “dona Marisa foi submetida a uma pressão irresistível, nos últimos tempos. A perseguição ao marido, aos filhos e a ela própria”, afirma.

Na continuação, há a narração de que Lula foi conduzido aos tapas para o aeroporto de Congonhas, quando foi conduzido ao depoimento coercitivo para a Polícia Federal.

Acusações

Paulo Henrique Amorim costuma causar polêmicas no canal “Conversa Afiada”, que é seguido por 80 mil pessoas no Youtube. Devido aos conteúdos polêmicos, os vídeos postados pelo jornalista da Record não disponibiliza a opção de comentários.

Os principais alvos de Paulo Henrique Amorim são a Globo e o PSDB. No texto em que culpa Moro pelo AVC de dona Marisa, o jornalista cita José Serra e Aécio Neves.

Repercussão

No Twitter, nesta quinta-feira (2), petistas culparam Sérgio Moro, perseguição política, fascismo e a Operação Lava Jato como culpados pela morte da ex-primeira-dama #Marisa Letícia.

Publicidade

Pelo Facebook, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu o apoio recebido neste momento e afirmou que os órgãos de dona Marisa Letícia serão doados.

O velório do corpo de dona Marisa será realizado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, no sábado. Ainda não foi divulgado o local do enterro e nem como será realizada a cerimônia. Provavelmente, será aberto apenas para amigos próximos, aliados políticos e familiares. O grande público não deverá ter acesso ao local.

#Sergio Moro