Na manhã dessa terça-feira, dia 31 de janeiro, um fato curioso pode ser observado no microblog Twitter. Apoiadores do deputado federal e pré-candidato à presidência Jair Messias #bolsonaro (PSC-RJ) lançaram a hashtag #SomosTodosBolsonaro com o intuito de divulgar as ideias do parlamentar e demonstrar seu apoio diante das últimas pesquisas de intenção de voto, que mostraram que Bolsonaro tem chances significativas de chegar a segundo turno.

Porém, a hashtag logo passou a ser usada, também, de forma pejorativa. Opositores de Jair Bolsonaro começaram a usá-la a fim de fazer piadas com o deputado e seus eleitores, em sua maioria chamando-os de infantis e fazendo comparações entre seus apoiadores, tais como "mulher apoiando Bolsonaro é que nem árvore apoiar desmatamento" ou "negro apoiar Bolsonaro é que nem judeu apoiar Hitler" - comparações entre o parlamentar e Adolf Hitler foram também comuns em publicações com a tag.

Publicidade
Publicidade

A brincadeira com a expressão "Somos Todos" deu origem a outro chamado "meme", o "mas como já dizia minha mãe, não sou todo mundo".

Já as críticas foram e continuam sendo rebatidas e o fluxo de tweets com a hashtag #SomosTodosBolsonaro permanece na média de quarenta publicações por minuto, o que gerou milhares de tweets e retweets nas últimas horas, além de uma colocação da campanha nos trending topics brasileiros, que é a relação de termos mais publicados em tweets entre os usuários do Brasil.

De forma geral, os criadores da hashtag com seu intuito original parecem se divertir com o seu uso para sua própria crítica. "Não vou negar, amo ver esse pessoal tendo ataque de pelanca", dizia um usuário. Outro comentou "Acho engraçado que essa tag só tá durando por causa das pessoas que odeiam o Jair, mas não param de postar na tag #SomosTodosBolsonaro".

Publicidade

"Um candidato que incomoda tanto a mídia e a esquerda só pode ser a melhor opção para o Brasil", disse um apoiador do deputado. Alguns aproveitaram o momento para tentar subir a tag #Bolsonaro2018 e #SomosTodosSergioMoro, porém, sem sucesso.