O deputado federal, Jair Bolsonaro (PSC-RJ), afirmou, durante entrevista para a imprensa campinense, que está preparado para disputar a presidência em 2018. Para confirmar esse preparo, o político simplifica dizendo que é preciso aplicar a prova do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), para ele, Dilma e Lula, e se ele passar, estará preparado. O político usa esse argumento há dois anos.

O deputado também defende o porte de arma para o cidadão comum, como forma de se defender da onda de violência urbana. Vale salientar que o porte de arma não é proibido no Brasil, mas requer o preenchimento de um rigoroso rol de requisitos legais, como não ter antecedentes criminais ou responder processo penal, ter habilidade comprovada no manuseio de arma, comprovar a necessidade de portá-la, ser aprovado em teste psicológico, entre outros.

Publicidade
Publicidade

O porte, não se confunde com a posse, que é mais fácil de se obter e visa permitir que o cidadão adquira uma arma legalizada para ter dentro de sua propriedade residencial ou comercial.

Jair diz estar preocupado com atentados e demais crimes que acontecem diariamente, mas não se preocupa por ele, pois pode resolver o problema no caso de ser vítima da violência, uma vez que possui porte de arma. Por conta dessa tranquilidade de quem possui uma arma e pode ‘evitar’ ser vítima de qualquer tipo de violência, o deputado diz que quer que todas as pessoas tenham uma arma.

É importante ressaltar que Bolsonaro e seu filho já tentaram alterar o Estatuto do Desarmamento para facilitar a compra de armas, mas o projeto não é de interesse da maior parte dos deputados da Casa, sendo improvável uma mudança de comportamento em um novo mandato eletivo.

Publicidade

Por fim, Bolsonaro criticou a lei da Palmada e deixou claro que nunca foi a favor da mesma. Ele disse que não aprova que crianças e adolescentes sejam severamente espancados, mas que é preciso colocar um limite nos filhos e esse limite é proibido por conta da citada lei, que impede que pais e responsáveis por menores de idade, os castigue com agressões físicas.

A entrevista foi dada em uma de suas muitas viagens para divulgar o seu trabalho. O deputado tem faltado em sessões da Câmara para dar palestras para militantes políticos, mas nega que isso se trate de campanha antecipada. #Eleições 2018 #Eleições #Jair Bolsonaro