O presidente Michel Temer tenta limitar a avalanche de acusações que vão abalar Brasília nos próximos dias, atingindo seu governo em cheio. O potencial devastador da revelação das #delações premiadas da alta cúpula da Odebrecht atingirá definitivamente a elite do governo.

Investigações em curso

Os procuradores da Lava Jato investigam se #Temer e políticos que pertencem ao PMDB fizeram parte da monumental rede de propinas, com desvios milionários de recursos da Petrobras para o financiamento de campanhas eleitorais do partido.

Consta que, entre os vários membros do PMDB citados por 77 executivos da #Odebrecht, está o nome do presidente Michel Temer. O potencial explosivo das delações mais esperadas pela sociedade brasileira, e chamada de 'delações do fim do mundo', poderão ser divulgadas em breve pelo STF.

Blindagem de Temer e seus aliados

Pelo motivo das delações da Odebrecht, Temer tratou de se blindar e também a seus aliados no governo. O presidente colocou em prática o plano de emergência, segundo a Folha de São Paulo. A ordem é tentar proteger os amigos e reforçar as barreiras contra a explosão que poderá por fim ao seu mandato.

Delações vazadas

As delações que estão sob sigilo judicial poderão ser divulgadas em breve pelo STF. De acordo com testemunhos vazados, Michel Temer, em 2014, pediu milhões de dólares para campanhas eleitorais de seu partido. Como presidente, Temer está protegido contra processos e punições, pois seu envolvimento em fatos anteriores ao seu mandato não podem atingi-lo agora, em seu atual cargo.

Em contrapartida, um grande número de aliados deverão ser atingidos e, consequentemente, seu governo sofrerá um golpe sem proporções. Por esse motivo, corre à boca pequena que Temer nomeou Moreira Franco, citado na Lava Jato várias vezes, para blindar seu governo

Desse mesmo modo foram feitas as nomeações de Eunício de Oliveira para a CCJ e também a nomeação do atual ministro da justiça para o STF. A ordem é desestabilizar a Operação Lava Jato e proteger o círculo de políticos do governo, que estão prestes a serem condenados pela maior operação de combate aos crimes do colarinho branco já vista no país.