Após ter homologado 77 delações de ex-funcionários da Odebrecht na última segunda-feira (30), a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, pretende sortear o novo relator da Lava Jato, para substituir Teori Zavascki, entre os integrantes da 2ª Turma do STF.

Os ministros que eram companheiros de Teori na 2ª Turma são: Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Celso de Mello. Cármen Lúcia estuda a possibilidade de transferir Edson Fachin da 1ª para a 2ª Turma, sendo ele o 5º integrante do sorteio que definiria o novo relator da Lava Jato no Supremo.

Além da óbvia função de relatar e julgar o possível envolvimento de políticos em esquemas de corrupção, a primeira função do novo relator será decidir se retira o sigilo das 77 delações.

Publicidade
Publicidade

O conteúdo dos documentos causa extrema apreensão nos corredores de Brasília, tanto em nomes do Governo como da oposição.

A decisão deverá ser tomada em uma reunião entre os ministros nesta quarta-feira (1º) para definir a ida ou não de Fachin e como será realizado o sorteio do novo relator. #Dentro da política