A jornalista e mulher do deputado cassado #Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, pediu para o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da operações da Lava Jato, que seu marido seja ouvido novamente em depoimento para o juiz. Na semana passada, Eduardo Cunha depôs para o Moro e alegou que tem a mesma doença que a ex-primeira dama Marisa Letícia sofria, um aneurisma cerebral. O ex-deputado também reclamou das condições da penitenciária em que está cumprindo pena.

Cláudia Cruz é ré na operação Lava Jato, segundo o Ministério Público Federal (MPF), os processos entre o casal estariam relacionados. O pedido enfatiza que o depoimento de Cunha é de interesse pela defesa de Cláudia e apresenta informações relevantes.

Publicidade
Publicidade

A jornalista é acusada de crimes como lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Um contrato da Petrobras para explorar petróleo na República do Benin, na África, foi "regado" com propinas para Cunha, que celebrou o acordo. O crime que a jornalista está respondendo é relativo aos esquemas dessa ação ilícita.

Contas no exterior foi o meio escolhido para abrigar a dinheirama que entrou a partir do fechamento do contrato. Depósitos foram realizados em contas secretas na Suíça, as contas estariam no nome de Cláudia. Além disso, investigadores apontaram compras de luxo realizadas pela mulher do ex-deputado que utilizava cartões de crédito e o dinheiro da propina para arcar com "futilidades".

Eduardo Cunha e Sérgio Moro

O deputado cassado escreveu uma carta de próprio punho para o juiz federal, Cunha avaliou que os presos pela operação Lava Jato estariam correndo sérios riscos dentro da cadeia.

Publicidade

Eduardo Cunha também se mostrou "horrorizado" com a falta de atendimento médico na cadeia: "São várias noites em que presos gritam, sem sucesso, por atendimento médico, e não são ouvidos pelos poucos agentes que lá ficam à noite".

Cunha enfatizou que precisa de atendimento médico por sofrer o mesmo mal da mulher de Lula e que ele teria exames que comprovariam um aneurisma cerebral. #SérgioMoro #Corrupção