Como já era esperado por todos, Eunício Oliveira (PMDB-RJ) foi anunciado oficialmente como o novo presidente do Senado Federal após a votação realizada nesta última quarta-feira (1º). O peemedebista teve 61 votos, contra 10 do seu rival, o senador novato José Medeiros (PSD-MT). Outros 10 preferiram votar em branco.

Com a saída do polêmico e multi investigado Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado, será que a imagem daquela Casa Legislativa irá melhorar perante a população?

Lava Jato

Eunício é um dos políticos investigados pela Operação Lava Jato. Ele aparece nas planilhas de propina da Odebrecht com o apelido de "Índio".

Publicidade
Publicidade

Segundo a delação vazada do ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho, Eunício recebeu R$ 2,1 milhões em troca de favores do senador em ações do seu mandato.

Mas essa não é a única acusação que recai sob Eunício. O ex-diretor de Relações Institucionais da Hypermarcas Nelson Melo, preso pela Lava Jato, afirmou que doou R$ 5 milhões em 2014 para a campanha de Eunício para Governador do Ceará por meio de contratos fictícios.

O senador do PMDB também foi citado por Delcídio Amaral. Segundo o ex-senador petista, Eunício cobrava propina de laboratórios em troca de nomeações para a diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e Agência Nacional de Saúde (ANS).

Histórico

O novo presidente do Senado Federa é dono da segunda maior fortuna entre os integrantes da Casa Legislativa.

Publicidade

Eunício declarou em 2014 à Justiça Eleitoral R$ 99 milhões, atrás apenas de outro senador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), que declarou R$ 380 milhões. Boa parte da riqueza de Eunício advém de licitações públicas.

Eunício Oliveira carrega consigo o PMDB até dentro da família. Ele é casado com Mônica Paes de Andrade, que é filha do ex-presidente do PMDB Paes de Andrade, que faleceu em 2013 aos 88 anos. O senador nasceu em uma cidadezinha do interior do Ceará chamada Lavras da Mangabeira, localizada a 400 km da capital Fortaleza.

Eunício tem o sonho de se tornar Governador do Ceará já há algum tempo. No último pleito, em 2014, rompeu com os irmãos Ferreira Gomes (Ciro e Cid), que apoiavam a candidatura do atual governador, Camilo Santana (PT), para poder lançar candidatura própria. O senador chegou ao segundo turno com Santana, mas, mesmo com tamanha riqueza, foi derrotado pelos Ferreira Gomes e a máquina do Estado.

Lula

Eunício Oliveira ganhou destaque no cenário político nacional durante o primeiro mandato do ex-presidente Lula.

Publicidade

O peemedebista foi ministro das Comunicações de Lula entre o começo de 2004 e julho de 2005. O novo presidente do Senado foi um dos responsáveis por criar a base de sustentação inicial da proximidade entre PMDB e PT durante o início da Era do Partido dos Trabalhadores à frente do Governo Federal.

Em 2011, foi eleito para o mandato de senador da República com a aprovação de Lula. Apoiado pelos irmãos Ferreira Gomes à época, derrotou o favorito Tasso Jereissati com a benção de Lula, que queria afastar qualquer chance de um tucano ganhar força no Ceará. #Dentro da política