Nesta segunda-feira (06), o juiz federal Sérgio Moro, foi convidado a dar uma palestra sobre corrupção com foco na Operação Lava Jato, na Universidade de Columbia, em Nova York (#EUA). Um grupo de estudantes começou a protestar contra o juiz. Ele criticam as atitudes do juiz, que dizem ser "distorcida".

A palestra teve início no começo da tarde. Ao ser anunciado, o magistrado brasileiro foi aplaudido por quase todas as pessoas que participavam do seminário. Depois de se posicionar, o juiz foi tentar pronunciar as primeiras palavras e foi impedido por uma manifestante revoltada e bem descontrolada. A mulher gritava no fundo da platéia várias palavras de desacato ao juiz.

Publicidade
Publicidade

O magistrado manteve a calma e esperou com os braços cruzados a mulher se acalmar. Após momento de silêncio ele disse "OK". A Plateia toda aplaudiu o juiz. Ao começar a falar de novo, a manifestante tentou novamente impedir a fala dele. Moro cruzou os braços e aguardou mais uma vez a paz se estabelecer.

Veja o vídeo:

Aplausos

O juiz foi muito aplaudido durante o evento. As vaias recebidas antes dele começar a falar, não chegaram nem aos pés do grande entusiasmo das pessoas. No final de sua fala, todos se levantaram e aplaudiram com bastante forças o magistrado. Sérgio Moro comanda a Operação mais famosa do Brasil, a Lava Jato. Os resultados da operação mostram que aos poucos o Brasil vai superando a forte corrupção que assolava o país.

Críticas

O ex-presidente Lula e vários militantes petistas não aceitam as denúncias contra #Lula e que foram proferidas pelo juiz.

Publicidade

Eles alegam que o juiz é parcial, abusa do poder e persegue a família do ex-presidente. Durante o velório da esposa de Lula, dona Marisa Letícia, que faleceu na sexta-feira (03), o petista deu várias indiretas contra a Lava Jato e tentou colocar a culpa da morte de sua esposa na Justiça. De acordo com o senador Ronaldo Caiado, essa atitude do ex-presidente é um vexame público e um grande desrespeito à sua própria família. "Lula está tentando inverter os papéis e se fazendo de vítima da Justiça", disse Caiado. #SérgioMoro