Na última sexta-feira, dia 24, o deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSC-RJ) postou, em sua página oficial no Facebook, uma homenagem em forma de #rap criada por um cidadão venezuelano. Na música, o parlamentar era tradado como solução para os problemas do Brasil, "mito" e uma certeza para o país em 2018.

Ainda na postagem, Bolsonaro agradece a homenagem e salienta que o venezuelano não quer para o Brasil o mesmo que aconteceu com seu país de origem, a #Venezuela, que passa por uma crise de dimensões incalculáveis que já gerou pobreza extrema, falta de luz, imigração para países vizinhos e até mesmo escassez de comida nos mercados.

Publicidade
Publicidade

No final do ano passado, o parlamentar visitou um grupo de venezuelanos imigrantes. Durante o encontro, o parlamentar fez críticas ao PT e ao governo do presidente Michel Temer. "Temer não é presidente dos sonhos, mas é o que temos. Mais dois anos de PT e teríamos uma Venezuela", diz em vídeo publicado em suas redes sociais.

"Lula e Dilma apoiaram Chávez e Maduro na Venezuela. Seu povo foge e implora por comida. O comunismo distribui apenas a miséria", afirmou.

Entendendo a situação da Venezuela

No início do ano passado, Nicolás Maduro decretou "estado de emergência econômica" por 60 dias para tentar controlar a crise que assolava o país. No entanto, a medida de nada adiantou e, desde então, o país vem enfrentando fome e miséria diariamente.

Para muitos, a solução foi fugir para outro país e a opção mais viável foi o Brasil, mais especificamente em Roraima.

Publicidade

Porém, a imigração venezuelana no Brasil também tem sido alvo de críticas por motivos que vão desde a falta de controle do governo brasileiro sobre a situação até aos saques que foram feitas na primeira grande onda imigratória.

Além desses fatores, muitas das mulheres venezuelanas estão se prostituindo na capital de Roraima, Boa Vista.

Confira alguns comentários abaixo:

"Infelizmente tive uma forte doutrinação esquerdista no colégio, havia professores de geografia e história que só falavam de Marx, Engels, Che guevara, etc... Falavam muito mal do regime militar. Realmente faziam lavagem cerebral nas nossas cabeças. Graças a Deus pouco tempo depois de terminar o ensino médio consegui enxergar a realidade e me hoje me considero conservador de direita. Já estou e estarei fazendo campanha até 2018!", comentou Oli Junior.

"Parabéns ao venezuelano que mesmo com todos os problemas que a Venezuela já tem, ainda se importa em se juntar aos brasileiros nesta luta. E diga-se de passagem ficou bem legal, uma homenagem merecida a quem tem se mantido acima do lixo que é nosso parlamento. #bolsonaro 2018, estamos juntos", comentou Enrico Souza.

Confira o vídeo abaixo: