O STF (#Supremo Tribunal Federal) definiu por meio de sorteio eletrônico, na manhã desta quinta-feira (2), que o novo relator dos processos da #Operação Lava Jato será o ministro #Edson Fachin.

Ele ficará responsável por todos os processos ligados a Lava Jato que estavam sob a responsabilidade do ministro Teori Zavascki, que morreu em um acidente aéreo no dia 19 de janeiro deste ano. O relator será responsável por decidir as medidas judiciais, como, por exemplo, fazer pedidos de prisões, diligências de investigações, arquivar pedidos de inquéritos e encerrar as investigações.

Tramitam no Supremo cerca de 40 inquéritos e 100 delações premiadas relacionadas à Operação Lava Jato e todas essas informações estarão sob a jurisdição de Fachin.

Publicidade
Publicidade

O sorteio foi realizado apenas entre os ministros da Segunda Turma, que são os encarregados por analisar os inquéritos e recursos ligados a Operação Lava Jato. A lista dos ministros que fazem parte da Segunda Turma é: Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello, Dias Toffoli e o escolhido a relator, Edson Fachin.

A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, assinou esta semana a homologação das 77 delações premiadas de funcionários e executivos da Odebrecht em caráter de urgência e decidiu manter o sigilo sobre as informações. O novo delator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, decidirá se deverá manter o sigilo sobre as delações da empreiteira.

Homologação das delações da Odebrecht

A ministra Cármen Lúcia homologou na segunda-feira (30), em caráter de urgência, os 77 acordos de delações premiadas da Odebrecht.

Publicidade

A presidente do STF passou o final de semana inteiro trabalhando para finalizar as homologações, inclusive a de Marcelo Odebrecht, presidente da empreiteira. Cada um dos delatores falaram mais de uma vez e totalizaram cerca de 950 depoimentos.

A morte de Teori Zavascki

O ex-relator da Operação Lava Jato, Teori Zavascki, morreu em um acidente de avião no dia 19 de janeiro deste ano. A morte do ministro causou uma grande dúvida entre os brasileiros e deu inicio a várias teorias sobre sua morte. Zavascki iria fazer a homologação das delações da Lava Jato e teria decidido não manter o sigilo nos depoimentos.