O deputado cassado e ex-presidente da câmara Eduardo Cunha participou em São Paulo do seu primeiro julgamento, desde sua cassação, com o juiz Sérgio Moro. Na ocasião, o ex-presidente da câmara leu uma carta manuscrita na qual afirmou ter um problema sério de saúde. Ao ler a carta, Cunha afirmou ter um aneurisma cerebral igual ao que teve a esposa de Luís Inácio Lula da silva, a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que faleceu na semana passada por consequência da doença.

#Eduardo Cunha falou que precisa de cuidados especiais por conta de sua condição de saúde e acrescentou que o Complexo Médico Penal de Pinhais, em Curitiba, onde está preso, não tem capacidade de proporcionar tais cuidados.

Publicidade
Publicidade

O ex-deputado disse que os presos da Operação correm perigo e que tudo isso não passa de um processo político, já que empresas estrangeiras não estão sendo punidas.

Ainda não se tem conhecimento do conteúdo completo da carta passada por Eduardo Cunha a Sérgio Moro, até mesmo a defesa informou desconhecer o conteúdo da carta de 10 páginas. A audiência durou 3 horas e, no fim, a defesa ainda protocolou um pedido de liberdade para Cunha.

Segundo as investigações da Operação Lava Jato, Eduardo Cunha é acusado de receber propina de 5 milhões de reais por envolvimento no projeto do campo de petróleo de Benin, na África, além do crime de lavagem de dinheiro, por supostamente ter recebido propina de contratos da Petrobras. O réu da #Lava Jato ainda é acusado de corrupção e evasão de divisas.

Após a cassação, o ex-presidente da Câmara perdeu o foro privilegiado, sendo assim, seu processo não corre mais no Supremo Tribunal Federal (STF), o processo no momento se encontra em Curitiba.

Publicidade

Eduardo Cunha chegou à sede da Justiça Federal em Curitiba com muitos documentos e anotações para a audiência desta terça-feira. Cunha está preso desde 19 de outubro do ano passado e, desde então, vem discutindo com os advogados uma linha de defesa.

Sobre o aneurisma, o diretor do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), Luiz Alberto Cartaxo, informou que o Depen desconhecia a suposta doença do ex-deputado e ainda adicionou que Cunha saiu para fazer exames em 21 de outubro e que os resultados acusaram problemas vasculares e hipertensão.

Cartaxo afirmou que Eduardo Cunha havia dito à equipe médica sobre o aneurisma, mas isso não foi constatado nos exames realizados, então a família e os advogados de Cunha foram orientados a apresentar exames e documentos que comprovassem a doença, porém nada foi apresentado. Na próxima quarta-feira Cunha passará por novos exames para entregar à Justiça. #Política