O deputado federal Eduardo #bolsonaro publicou na sua página oficial do Facebook um "print" de uma ameaça bastante grave feita por um perfil no Twitter. O mesmo dizia: "Queria eu ter uma foice e um martelo para poder matar e torturar esse Eduardo Bolsonaro e o pai dele". Eduardo é filho de Jair Messias Bolsonaro, também deputado federal e pré-candidato às eleições presidenciais de 2018. Segundo recentes dados, Bolsonaro tem grandes chances de ir ao segundo turno e fica no segundo lugar entre os votantes de uma pesquisa espontânea, perdendo somente pra Luiz Inácio #Lula da Silva, o ex-presidente Lula.

Diante da ameaça, Eduardo respondeu com uma imagem de si mesmo carregando uma arma e com o texto "pode vir, mas só uma pergunta... você tem peito de aço?" escrita, publicação feita originalmente por uma página de apoio ao seu pai. Na legenda, o mesmo dizia:

"Quando os Estados Unidos conseguiram a sua independência e fizeram sua constituição, o fazendeiro e presidente George Washington sentou-se com mais alguns patriotas e emendou a constituição de maneira que a primeira emenda garantia direitos individuais mínimos, como a vida, e a segunda assegurava todos os demais direitos: o direito de acesso a armas, para garantir que nenhum ditador subjugasse seu povo.

Diante disto analise a foto. Há uma pessoa que não conheço (valentão(ona) de internet) querendo me oprimir e fazer pela força que eu concorde com ela. Sem armas ela poderia juntar-se com um grupo e varrer minha opinião do mapa (assassinando-me). Porém, com minha arma posso me defender, garantir minha vida, integridade física e liberdade de expressão. Simples. É isso que eu quero para você, mesmo que discorde de mim."

Aproveitando a situação para defender o direito de porte de armas por cidadãos, muitos comentários da postagem mostraram seu apoio à família Bolsonaro e à causa. Protestos contra o Estatuto do Desarmamento estão sendo organizados nesse dia 19 de fevereiro e depois em março, eventos que o próprio Eduardo fez questão de divulgar na sua página. Segundo Eduardo, a meta destes protestos é fazer pressão no presidente da Câmara a pautar o projeto da aprovação do PL 3722 e incentivar os deputados federais a votarem favoravelmente.

#Eleições 2018