O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prestou depoimento ao juiz Sérgio Moro em Curitiba nesta terça-feira (7). Entre as diversas falas do peemedebista, uma chamou atenção. Cunho criticou a seletividade da Operação Lava Jato, que deixa de fora de suas investigações "corruptos internacionais".

Segundo o ex-deputado, ele vem sofrendo uma perseguição política no âmbito da Lava Jato. Eduardo Cunha é réu em diversos processos na Operação e foi cassado devido a uma mentira durante arguição na CPI da Petrobras na Câmara dos Deputados.

Eduardo Cunha ainda relembrou do impeachment da presidente Dilma Rousseff durante seu depoimento.

Publicidade
Publicidade

Ele se declarou "responsável pelo impeachment da ex-presidente da República" e afirmou ter autoridade por isso, ao questionar a seletividade das condenações.

Cunha foi prestar depoimento para explicar a acusação de ter recebido pelo menos R$ 5 milhões em contas na Suíça por propina no negócio envolvendo a compra pela Petrobras do campo de exploração em Benin, na África. #Dentro da política