O drama da escolha do novo relator que herdará todos os processos da Operação Lava-Jato, no Supremo Tribunal Federal (STF), teve um desfecho na mais alta Corte do país, através de um sorteio realizado nesta quinta-feira pela manhã (02) no #STF. O sorteio foi realizado entre os integrantes da Segunda Turma do STF, à qual pertencia também o ministro Teori Zavascki, morto num trágico acidente aéreo no litoral de Paraty, no Rio de Janeiro. Os ministros aptos a serem sorteados dessa Turma que cuida dos casos relativos à Lava-Jato, foram: Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e o ministro que aceitou ser transferido da Primeira para a Segunda Turma, para a composição do sorteio, Luiz Edson Fachin.

Publicidade
Publicidade

E foi justamente este último, o escolhido no sorteio. Fachin foi escolhido através de sorteio eletrônico, o mesmo que é utilizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para a distribuição de processos entre ministros. Coube à presidente da Suprema Corte, ministra Cármen Lúcia, definir qual o critério utilizado para a escolha do novo relator da maior operação de combate à corrupção em curso, atualmente, no Brasil. O julgamento dos processos da Lava-Jato no Supremo, envolve pessoas que possuem foro privilegiado, como deputados e senadores denunciados por cometimento de crimes no âmbito da força-tarefa da Lava-Jato. A operação é conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná e apura bilhões de reais desviados dos cofres públicos da maior estatal do país; a Petrobras.

Publicidade

Terra da Lava Jato

Uma característica do novo relator da Operação Lava-Jato no Supremo, Luiz Edson Fachin, é que ele, embora gaúcho de nascimento, constituiu sua vida acadêmica e sua carreira de jurista no Paraná, justamente na "terra da Lava-Jato". Ele foi professor titular de Direito Civil na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Curitiba, além de ter sido graduado na mesma universidade. Além disso, obteve títulos de mestre e doutor, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). #Lava Jato #Petrolão