A Operação Sodoma, desencadeada pela Polícia Civil, prendeu na manhã de hoje (14) o ex-governador do Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), e outros quatro ex-secretários de estado. Segundo a Polícia, os presos são investigados por praticarem crimes de #peculato, fraudes em licitação, corrupção (o câncer da política brasileira) e organização criminosa.

As fraudes seriam em contratos com empresa de informática e posto de combustível. Os ex-secretários presos são: Valdisio Juliano Viriato (ex-secretário-adjunto de Transportes), Francisco Anis Faiad (ex-secretário de Administração), Silval da Cunha Barbosa, Sílvio César Corrêa Araujo (ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa) e José Jesus Nunes Cordeiro (ex-secretário adjunto de Administração).

Publicidade
Publicidade

Pagamento de R$ 300 milhões e propina de R$ 7 milhões.

Conforme a Polícia Civil, a empresa de informática e o posto de combustível receberam, entre 2011 e 2014, pagamentos provenientes do governo do estado mato-grossense no valor de 300 milhões de reais, e a organização criminosa recebeu a título de propina o montante de 7 milhões de reais. As licitações teriam sido fraudadas pela quadrilha. A quinta fase da Operação Sodoma ocorre ainda com cumprimentos de mandados de prisão, conduções coercitivas e busca e apreensões em Santa Catarina e no Distrito Federal.

Ainda segundo a Polícia Civil, as empresas envolvidas eram utilizadas pela organização criminosa para a realização dos desvios de dinheiro público.

Investigações iniciaram há quase dois anos

O ex-governador, além de outras pessoas, já havia sido preso anteriormente.

Publicidade

Houve até pedido para a anulação do processo, bem como a suspeição da juíza Selma Rosane Santos Arruda, que conduzia a ação dos atos penais. Na época, a manifestação do Ministério Público foi contra o pedido. O Tribunal de Justiça do estado manteve a juíza no caso.

Inversão de valores e grandes estão "caindo"

Interessante fato ocorre no Brasil. Políticos corruptos e seus comparsas dilapidam o patrimônio público, saqueiam na maior "cara dura" e quem é colocado em "xeque" são as autoridades sérias, como a juíza, por exemplo. Entretanto, as coisas estão mudando no país. Muitos da classe política corrupta acreditavam que eram imbatíveis. As polícias (Federal e Civil) estão combatendo e investigando. O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, está preso desde o ano passado. Falta cair muito corrupto ainda. Mas, com certeza, cairão. #exgovernadorpreso