Jonathan Gomes Bastos, ex-motorista da empresa Focal, uma das gráficas que prestou serviço à chapa de Dilma e #Temer em 2014, voltou a dar depoimento à Justiça Eleitoral de São Paulo nesta segunda-feira. Desta vez, Bastos pediu para ser ouvido - ele já havia prestado esclarecimentos no dia 8 de fevereiro.

O ex-motorista causou polêmica ao afirmar que o empresário Carlos Cortegoso, seu patrão na Focal por 15 anos, o utilizava como 'laranja' de outras três companhias que pertenciam ao grupo. Estas três empresas, alheias à investigação no TSE, estão sendo analisadas pela Operação Lava Jato.

Ao mesmo tempo, Bastos garantiu que a Focal realizou, sim, serviços em favor da campanha de Dilma e Temer nas eleições presidenciais de 2014, quando esta candidatura bateu os tucanos Aécio Neves e Aloysio Nunes.

Publicidade
Publicidade

"Era um trabalho gráfico, com lonas e bandeiras, por exemplo. Eu mesmo ajudei a distribuir esses materiais ao viajar pelo país", garantiu.

Outras testemunhas ligadas à gráficas que trabalharam na candidatura seguirão sendo ouvidas. A tendência é que a sentença do processo seja dada na segunda semana de março. #TSE