Nesta terça-feira (07), a #Câmara dos Deputados aprovou como urgente um projeto de Lei que tirar o poder do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibindo o órgão de punir partidos políticos que se apresentem como as contas rejeitadas ou inexistentes.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comandou a votação que teve resultado de 314 votos a favor, contra apenas 17. O PSOL foi o único partido que ficou contra a votação, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), diz que o projeto pode livrar partidos políticos que estejam sendo alvo de investigações na operação Lava Jato, tornando-os impunes. Se referindo a "correria" para a votação, o deputado afirmou: "eles adoram fazer piquenique em boca de vulcão."

A operação Lava Jato tem como foco investigar políticos e partidos políticos que se aproveitaram de dinheiro ilícito, se caso essa lei seja aprovada, as investigações ficarão prejudicadas pois os partidos não terão a necessidade de "apresentar as contas" e os investigadores não terão a contabilidade necessária.

Publicidade
Publicidade

É provável que na próxima quarta-feira (08) o congresso dê continuidade na votação.

O atual ministro dos Transportes do governo de Michel Temer, foi o responsável por colocar em pauta esse projeto de Lei. Maurício Quintella Lessa (PR), tenta desde 2016 fazer essa mudança, ele acredita que o TSE estaria fazendo interferências indevidas prejudicando os partidos políticos.

A Câmara passou por uma situação semelhante ano passado, fazendo com que populares ficassem surpresos e lidou com críticas muito negativas a anistia ao "caixa 2". A aprovação não ocorreu e o projeto foi engavetado pela má repercussão.

A operação Lava Jato já colocou na cadeia grandes empresários e políticos muito poderosos, as investigações visam o combate a #Corrupção. Em uma das últimas fases, o empresário Eike Batista foi preso e o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, também foi para a prisão.

Publicidade

O juiz federal Sérgio Moro, é o responsável pelas investigações e está sendo muito prestigiado pela forma que conduz os inquéritos da Lava Jato.

O deputado cassado, Eduardo Cunha, prestou depoimento para o juiz nesta terça-feira (07), ele busca formas de sair do Complexo Médico Penal, em Pinhais, Paraná. #impunidade