"Incorruptível". É assim que os outros ministros do Supremo Tribunal Federal definem Edson Fachin, o novo relator da Lava Jato após a morte de Teori Zavascki. Por uma coincidência do destino, Fachin é professor de Direito na Universidade Federal do Paraná (UFPR), que também tem em seu corpo docente o juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato.

Em matéria publicada pelo UOL, um docente do curso de Direito da UFPR que pediu para não ser identificado afirmou que a postura de Moro e Fachin na Universidade é completamente diferente. Segundo ele, o juiz de 1ª instância apenas da suas aulas e vai embora, enquanto o ministro do STF vivia a faculdade, chegando a ser coordenador do curso.

Publicidade
Publicidade

Carlos Frederico Marés, colega de Fachin na época da procuradoria-geral do Estado, afirmou que o ministro é "incorruptível" e reúne as melhores características para comandar a Lava Jato no STF.

"Não vejo no STF nenhum ministro mais independente e constrito que ele mesmo", afirmou o ex-colega de procuradoria. #Dentro da política