Na noite dessa quarta-feira, 1, o deputado federal, #Jair Bolsonaro (PSC-RJ), se candidatou ao cargo de presidente da #Câmara dos Deputados. Até o momento, Bolsonaro é o sétimo inscrito na eleição. O político já tentou ser presidente da Câmara em 2005 e 2011.

Por enquanto, não houve nenhum candidato do PSDB, PMDB e PT. Se ninguém dessas siglas se candidatar, é esperado que o PSDB e parte do PMDB apoie a reeleição de Rodrigo Maia (DEM) e que o PT e PC do B, apoie Luiza Erundina, do PSOL. Os demais candidatos inscritos até a noite dessa quarta-feira, são de partidos do ‘centrão’: PDT, PSB, PSD e PTB.

Os interessados em disputar a vaga que atualmente é de Rodrigo Maia, devem se inscrever até uma hora antes do início da sessão de votação de quinta-feira, 2, que ocorrerá de manhã.

Publicidade
Publicidade

Polarização dentro do Congresso

A polarização vista nas ruas e principalmente na internet, não é apenas entre pequenos grupos, mas também existe dentro do Congresso Nacional. Embora Michel Temer tenha apoio da maioria dos parlamentares, escolher o novo presidente da Câmara pode não ser tão simples assim. A candidatura de Rodrigo Maia ainda pode ser barrada, o que influenciará na decisão dos políticos.

Por outro lado, os demais candidatos estão bem divididos em suas bancadas e somente o PSDB e o PSC costumam ‘combinar’ votos, ou seja, os parlamentares seguem as orientações do partido e todos votam da mesma forma, entretanto, isso não existe em nenhuma das outras siglas, havendo divisão até mesmo dentro dos partidos de esquerda.

Sendo assim, a votação deve trazer uma grande surpresa, caso nada impeça a reeleição de Maia.

Publicidade

Embora Bolsonaro tenha uma boa relação política com os colegas, nesse primeiro momento, é pouco provável que ele tenha o apoio da maioria dos parlamentares na votação, entretanto, até as 9h, muita coisa pode acontecer e mudar os rumos de uma votação, que ainda não está definida.

A votação será transmitida pela TV Câmara, a partir das 9h, e deve se tornar um dos assuntos principais da política nacional. #Eleições