A luta do prefeito de São Paulo, João Doria, contra as pichações parece mesmo estar longe do fim. Doria, a cada dia, adota ações mais firmes de combate à deterioração dos espaços públicos, principalmente, em relação às pichações em monumentos históricos, símbolos da arquitetura da cidade e em murais localizados nas principais regiões do município. Durante a sessão inaugural da legislatura paulistana de 2017, o prefeito João Doria discursou aos vereadores e convidados, frisando que "a pauta municipal não estaria apenas sendo delineada apenas sobre o tema das pichações."

Entretanto, o prefeito discursou sobre ações mais severas que serão dirigidas às pessoas reincidentes na prática dos pichadores.

Publicidade
Publicidade

O prefeito argumentou que "está sendo estudada", a aplicação de multa equivalente à quantia de R$ 50 mil para aqueles que danificarem os bens públicos, sejam monumentos municipais ou estaduais. Ainda como punição, o prefeito relatou aos parlamentares que pretende obrigar aos pichadores a arcar com todo os custos da reparação dos danos causados ao município. A multa a ser aplicada se iniciaria com o valor de R$ 5 mil no primeiro ato da infração, ocasionando ainda de o acusado ser indiciado por crime ambiental. Porém, "se o mesmo infrator não arcar com o pagamento da multa, poderá sofrer processo judicial", segundo o prefeito.

Suplicy interpela Doria e recebe resposta categórica

O vereador petista Eduardo Suplicy resolveu trazer à sessão um grafiteiro que havia sido preso, por tentar apagar a tinta da #prefeitura passada sobre a sua pintura em um mural da Avenida 23 de maio.

Publicidade

Trata-se de Mauro Neri. O vereador petista ainda "cobrou desculpas" de Doria sobre ter se referido ao ex-presidente Lula, como "o maior cara de pau do Brasil". Doria, de modo comedido e categórico, rebateu prontamente de forma educada ao vereador: "Ao vereador que tenho grande estima e ao grafiteiro que respeito, quero dizer que o combate da Prefeitura, é contra os pichadores e não os grafiteiros, inclusive, a Prefeitura irá valorizar esses profissionais. Já em relação ao ex-presidente Lula, prefiro não me manifestar, já que ele enfrenta um momento muito difícil e um drama pessoal, devido à situação de sua esposa Marisa Letícia". A resposta de Doria, acabou deixando Suplicy, sem palavras. #João Dória #Governo