O juiz Sérgio Moro, após o retorno aos trabalhos de investigação da força-tarefa da Operação Lava-Jato, se deparou com a situação dos processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, réu na operação Lava-Jato, após a fatalidade da ocorrência do AVC que resultou na morte da esposa de #Lula, a ex-primeira-dama, Marisa Letícia. As investigações que cercam o ex-presidente Lula, possuem agendadas audiências que tratam da presença de testemunhas de defesa do ex-presidente.

Lula é réu em um dos processos da Lava-Jato por acusação de crimes de #Corrupção, num processo que envolve o recebimento ilícito da quantia de mais de R$ 3,8 milhões da empreiteira OAS.

Publicidade
Publicidade

A propina favoreceu a reforma e ampliação do tríplex de luxo, no Edifício Solaris, localizado na cidade de Guarujá, no litoral do estado de São Paulo, cuja propriedade é atribuída ao ex-presidente Lula, segundo as investigações da força-tarefa da Lava-Jato. A defesa de Lula nega que ele seja proprietário do imóvel. A ex-primeira-dama, Marisa Letícia, era ré, acusada de corrupção no mesmo processo, porém, com o seu falecimento, o processo é totalmente extinto.

Pedido da defesa de Lula a Moro

Com a morte de dona Marisa, a defesa do ex-presidente Lula apresentou ao juiz Sérgio Moro, uma petição em que solicita o adiamento das oitivas das testemunhas de defesa no processo que envolve o ex-presidente; "Pleiteia a defesa do ex-presidente Lula, o adiamento das oitivas agendadas para as próximas duas semanas, devido a motivos pessoais de grande relevância, oque impede que esta última possa se preparar adequadamente para tais audiências". O juiz Sérgio Moro negou o pedido da defesa de Lula e ressaltou que "apesar do trágico e lamentável acontecimento (em relação à morte de Marisa Letícia), já há várias audiências designadas, pelas quais já foram realizadas diversas diligências por este Juízo, o que tem o poder de exercer a sua viabilização", afirmou o juiz moro, no despacho desta quarta-feira (08).

Publicidade

Por esta razão, conclui Moro: "Eu indefiro o requerido", certificou o juiz federal, demonstrando que não haverá qualquer tipo de adiamento dos processos.

No despacho, Sérgio Moro também sinalizou que "a Defesa de Lula teve tempo suficiente para se preparar, de modo prévio, às inquirições que se encontram em questão e além disso, o ex-presidente foi dispensado de ter que comparecer às audiências de oitivas, o que de fato, Lula não tem comparecido", registrou o juiz Sérgio Moro, dando claro sinal de que não tolerará ações protelatórias por parte da Defesa de Lula.. #Lava Jato