Nesta última quinta-feira (16), procuradores do Brasil se reuniram com membros de mais dez países para fechar um acordo de investigações, considerado a maior estrutura de apuração já montada na história. O acordo envolve países que foram atingidos por delações premiadas da empreiteira #Odebrecht. Entre eles, estão, Colômbia, Peru, Venezuela, Equador e Argentina, a estrutura criada quer apontar crimes de desvio de dinheiro público da empreiteira na América Latina e em Portugal.

Publicidade

O procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, disse que as autoridades do Ministério Público de vários países fizeram uma reunião histórica para tratar de um único caso de #Corrupção, "nunca houve nada igual", segundo Janot. Depois das delações da Odebrecht mostrarem casos de suborno sendo pagos no exterior, autoridades perceberam que a estrutura política de vários países ficou abalada.

O documento que pode ser considerado um "arrastão contra a corrupção", é um comprometimento de vários procuradores que estabeleceram criar equipes conjuntas de investigações. O objetivo é se dirigir aos casos da Odebrecht e da operação #Lava Jato. Um texto de três páginas organizado conforme o artigo 49 da Convenção de Mérida foca que as investigações deverão ser bilaterais ou multilaterais.

Nesta quinta o encontro contou com a presença de representantes do Chile, República Dominicana, Venezuela, Argentina, México, Panamá, Colômbia, Portugal, Peru e Equador. Na próxima sexta-feira os representados do Ministério Público darão continuidade para mais reuniões.

Operação Lava Jato

A operação Lava Jato ficou famosa mundialmente após conseguir colocar na cadeia grandes empresários e políticos envolvidos em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Nesta quinta-feira a Polícia Federal cumpriu 16 mandados de busca e apreensão envolvendo Marcio Lobão (filho do peemedebista Edilson Lobão) e o ex-senador Luiz Otávio Campos, também do PMDB.

A PF, na operação batizada de Leviatã, tem o objetivo de apurar pagamentos de propina repassados a dois partidos políticos. O nome é referente a frase "homem é o lobo do homem", de uma obra do filósofo político, Thomas Hobbes.