A Confederação Nacional dos Transportes divulgou pesquisa sobre eventual corrida presidencial de 2018, e nela o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva aparece como o nome mais cotado para assumir a cadeira de presidente da República, pela terceira vez. Se a eleição fosse hoje, de acordo com a CNT, Lula se elegeria com 30,5% das intenções de votos, contra 11,8% de Marina Silva; 11,3% do atual deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e 10,1% do senador #Aécio Neves (PSDB-MG). A pesquisa ainda mostra o nome de Ciro Gomes (PDT-CE), que apareceu com 5% das intenções de voto, e o nome do atual presidente da República, Michel Temer (PMDB), com 3,7%.

“O presidente Lula ganha hoje em todos os cenários. Se as eleições fossem hoje, facilmente seria eleito como presidente da República”, disse o presidente da Confederação Nacional dos Transportes, Clésio de Andrade, que lembrou ainda que um detalhe bastante significativo chamou a atenção dele, que é o fato da constante subida em porcentagem do deputado Jair Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade

Antes, aparecia nas pesquisas com percentuais abaixo de 5% e nessa última pesquisa da CNT pulou para 11,3%, surpreendendo até mesmo a direção da própria CNT.

“Há também um crescimento bastante significativo do Jair Bolsonaro, que mostra esse nicho de pessoas que pensam de forma diferente da média”, disse o presidente da CNT. Clécio destacou que a morte da esposa de Lula, Dona Maria Letícia, pode ter causado bastante comoção em grande parte dos entrevistados e, de acordo com ele, isso pode ter pesado na hora das pessoas escolherem em quem intencionar o seu voto. “Não tem dúvida. Estamos chegando à conclusão de que todos os aspectos pesaram”, concluiu Clésio.

A referida pesquisa relacionada à corrida presidencial de 2018 foi realizada entre os dias 8 e 11 do mês de fevereiro de 2017. Nela, 2.002 pessoas foram ouvidas em 138 municípios de 25 unidades da federação nas cinco regiões do Brasil.

Publicidade

De acordo com a CNT, a margem de erro gira em torno de 2,2 pontos percentuais e existe ainda 95% de confiança nessa pesquisa. #Eleições 2018