No dia 5 de fevereiro, domingo, a página oficial da deputada federal Maria do Rosário Nunes (PT-RS) fez uma publicação comemorando os quase 200 mil seguidores no Facebook. "Juntos somos mais fortes", dizia a publicação feita pela equipe e com a hashtag "#Partiu200Mil".

Indo contra a comemoração da equipe da deputada, seguidores da página publicaram comentários em tom de deboche. A maioria deles garantia que, apesar de seguirem a página, não apoiavam a deputada e suas atitudes, mas sim queriam "ficar de olho" nas ações da mesma na mídia. Outros compararam a mesma ao ditador Adolf Hitler, que tinha milhões de seguidores, reafirmando que "o número de seguidores que você têm não te faz melhor que ninguém".

Publicidade
Publicidade

Dos quase 100 comentários, poucos demonstravam apoio à candidata e sua ideologia, tendo uma minoria atacado aqueles que a seguiam sem admirá-la.

Leia alguns dos comentários:

"Não fique tão feliz, só tô aqui pra rir das suas postagens e dos doidos que te apoiam."

"O número de seguidores que você tem não te faz melhor que ninguém! Hitler tinha milhões e Jesus 12!"

"Como eu, sua seguidora, porque vou ler muito bem sobre a direita, esquerda e entender que você esta sempre querendo manipular a maioria das propostas de direita e esconder os erros da esquerda! Parabéns Brasil, por começar a entender!"

"Mais da metade desses entram aqui só pra te zoar ou te xingar."

"Não se iluda, dona, Hitler também tinha vários seguidores, quantidade não quer dizer qualidade."

A rejeição pública a #Maria do Rosário Nunes surgiu principalmente devido aos conflitos da mesma com o deputado federal Jair Messias Bolsonaro, do Partido Social Cristão.

Publicidade

As discussões entre os dois parlamentares tornaram-se públicas e ambos faziam violentas declarações um ao outro. Na ocasião, Maria do Rosário chamou Bolsonaro de "estuprador" e o mesmo disse, em resposta, que não estupraria a deputada porque a mesma não "merecia". As declarações de ambos foram à Justiça - o deputado virou réu por apologia ao crime e injúria.

Assista ao vídeo da discussão abaixo:

#Partido dos Trabalhadores #Jair Bolsonaro