Como tem se tornado comum nas publicações da página oficial no Facebook de Maria do Rosário Nunes, uma crítica da deputada causou alvoroço nos comentários e duras críticas ao seu partido. A petista, que é natural de Veranópolis, no Rio Grande do Sul, criticou e questionou a ausência de um metrô na sua capital estadual, Porto Alegre.

Segundo publicação na página da parlamentar, os governos Lula e Dilma lutaram para conseguir recursos para a construção de um metrô na capital e o recente corte de recursos do Ministério das Cidades é uma "incompetência e falta de vontade política". A deputada afirma, na imagem da publicação, que a ação se tratava de um golpe, dizendo que o "golpe" foi também contra os(as) porto-alegrenses, usando a hashtag #OGolpeTambémÉEmVocê.

Publicidade
Publicidade

A crítica de "golpe" é decorrente do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (#PT), cujo cargo foi assumido por Michel Temer (PSDB). #Maria do Rosário posicionou-se contra o impeachment e considerou o prosseguimento do processo como um "golpe", assim como muitos outros parlamentares e boa parte da população.

A reação dos seguidores diante da crítica de Maria do Rosário foi pouco favorável. Segundo muitos, a mesma não poderia exigir que a obra se materializasse, já que, nos 13 anos de governo PT, nenhum dos presidentes dispôs-se a, de fato, fazer o metrô. Outros fizeram duras críticas aos investimentos do governo do partido de Maria do Rosário à diversos outros projetos, muitos fora do Brasil, e julgaram que a prioridade deveria ter sido o próprio país - como, por exemplo, investimento em transporte, o que inclui a construção de um metrô.

Publicidade

Uma parte ainda apoiou a decisão de cortes do Ministério de Cidades e culpou o governo do partido petista pela necessidade dos cortes e pela falta de dinheiro.

Leia alguns dos comentários abaixo:

"Com qual dinheiro vai se construir metrô, Dona Maria? Seu partido quebrou o país! Não existe dinheiro público, existe apenas o dinheiro do pagador de impostos!"

"Não tem em Porto Alegre, mas o PT financiou via BNDES o metro de Caracas. O porto de Mariel em Cuba. Deu desconto no valor que o Paraguai paga pela eletricidade de Itaipu. Aumentaram sem necessidade o preço do gás da Bolívia. Isso e mais um monte de obra que estão sob segredo."

"Mais uma obra que não iria terminar nunca. E a roubalheira seria de toda a verba. Ótimo que não tenha saído."