#Marisa Letícia, de 66 anos, esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apresenta quadro crítico, de acordo com o médico Roberto Kalil Filho, que coordena a equipe que atende a ex-primeira dama no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. A informação foi divulgada na noite desta quarta-feira (1º).

Segundo o médico, o quadro de dona Marisa é irreversível, pois ela não tem mais fluxo cerebral, está sedada e respira com a ajuda de aparelhos. A ex-primeira dama está internada desde o dia 24 de janeiro, quando deu entrada no hospital ao sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

A informação de que o quadro dela é irreversível se espalhou pela internet com muita rapidez desde a divulgação da informação pelo médico Roberto Kalil.

Publicidade
Publicidade

A jornalista Sônia Abrãao foi uma das que comentou o assunto em seu Twitter oficial.

O jornalista Antero Greco, da ESPN, também repercutiu o caso em seu Twitter e desejou força à família e ao ex-presidente #Lula.

Repercussão

Em meio a situações como a da morte cerebral de dona Marisa Letícia, a política deveria ser o último assunto a ser discutido. Afinal de contas, independente de qualquer coisa, é uma pessoa que morre e deixa esposo, filhos, netos e amigos tristes com a partida.

Publicidade

Mas em tempos tão problemáticos como o do Brasil, tudo vira política.

Assim que a informação de que Roberto Kalil, médico que cuida do caso, teria dito que o quadro de Marisa Letícia é irreversível, começaram a aparecer comentários com conotação política.

Este perfil, por exemplo, colocou a culpa da morte da esposa de Lula na Operação #Lava Jato. Lula é réu na Operação, corre o risco de ser preso e ficar inelegível para as eleições presidenciais de 2018.

Outros usuários do Twitter até lamentaram a morte da ex-primeira dama, mas também deixaram claro que não aceitarão que a culpa pelo falecimento seja colocada na Lava Jato.

Este outro usuário falou o que muitos têm vontade de falar. Não se pode usar a morte de alguém para fazer política, independente de que lado esteja e de que cor defenda.