Na véspera da eleição para escolha do novo presidente da Câmara, o grupo de apoio ao #Governo do presidente #Michel Temer já tem o que comemorar. O senador cearense Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi o vencedor, nesta noite de quarta-feira (1º), e irá presidir o Senado pelos próximos dois anos. O peemedebista conquistou a maioria dos que votou, atingindo o total de 61 votos dos 81 senadores presentes. O adversário mais votado foi o senador José Medeiros (PSD-MT), que teve 10 votos. Ainda foram registradas 10 abstenções.

Eunício foi apoiado pelo atual presidente Michel Temer e sua vitória já era esperada pela maioria dos presentes no Senado.

Publicidade
Publicidade

Com o aval do governo, esperasse que o novo presidente do Senado tenha um governo tranquilo na Casa.

A hegemonia do PMDB

Considerado o grande vencedor das eleições dessa quarta-feira, o PMDB, a partir do ano de 1985, sempre foi o preferido a vencer os pleitos.

Para não dizer que sempre o partido venceu, Antônio Carlos Magalhães (PFL) ganhou duas vezes a presidência. O político da Bahia morreu em 2007. O PFL é hoje o atual DEM.

Citações na Lava Jato

Tanto o ex-presidente Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) como o atual presidente da Casa, Eunício Oliveira, estão citados na Operação Lava-Jato. Eunício é suspeito de ter recebido de Cláudio Melo, ex-diretor da construtora Odebrecht, o valor R$ 2,1 milhões em troca de apoio para que fosse aprovada uma medida provisória que beneficiaria a empresa.

Publicidade

Ao se manifestar contra as acusações do ex-diretor da Odebrecht, Eunício nega todas as acusações. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o senador disse que ex-executivos de empreiteiras podem estar mentindo para receber o benefício da delação premiada, que prevê a redução das penas a que estão sujeitos em troca de denúncias.

Nesta quinta-feira (2), haverá eleição para a Presidência da Câmara Federal. O candidato com mais chances de vencer é o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), que é o atual presidente da Casa e também é apoiado pelo governo de Michel Temer. Ele também está citado na #Lava Jato, mas nega todas as acusações feitas contra ele.