O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, não concordou com o jeito de #Eduardo Cunha de tentar constranger o presidente Michel Temer. O ex-presidente da Câmara dos Deputados queria que Temer fosse sua testemunha de defesa e exigiu que Moro perguntasse para o peemedebista sobre a relação que ele tinha com José Yunes, assessor e amigo do presidente. Os advogados de Cunha queriam que o presidente explicasse sobre valores que foram destinados para a campanha do PMDB, repassados por empreiteiras, e se tudo havia sido declarado.

Sérgio Moro vetou esse pedido dos advogados do ex-deputado e captou a intenção de Cunha em ameaçar Temer.

Publicidade
Publicidade

Ao ameaçar o presidente, Cunha estaria forçando Temer a livrá-lo da prisão.

Para algumas pessoas, Moro favoreceu o peemedebista, mas se formos analisar bem os fatos, podemos ver que Moro deu um grande recado ao presidente. A Lava Jato está atenta com a possível "manobra" de livrarem Cunha da prisão e toda essa possível articulação do PMDB, que envolve até ministros do STF, poderá fazer Temer, lá na frente, a ter que dar algumas explicações para o juiz.

Delação de Cunha

A estratégia de Moro seria a seguinte: Quanto mais tempo Cunha ficar preso, mais haverá chance dele entregar a cúpula do PMDB. A delação do ex-deputado, juntamente com a de seu parceiro Lúcio Funaro, poderia "derrubar" o governo do peemedebista.

Se Eduardo Cunha não for solto pela Suprema Corte, ele terá que falar tudo que sabe ou aceitará sua vida de detento por longos anos.

Publicidade

Pressão política

O juiz já demonstrou que não aceita pressão política. Todos os corruptos que tentaram intimidar Moro, se deram mal. A estratégia de Cunha em escrever um artigo criticando o juiz, não pegou bem e pode ser considerada uma estratégia errada tomada pelo ex-deputado. O ex-presidente Lula e o empresário Marcelo Odebrecht são dois que tentaram de todas as formas prejudicar a Lava Jato e estão sentindo na pele os caminhos tomados em direção errada.

Moro está atento e a Lava Jato tem provas guardadas a sete-chaves. #SérgioMoro