O Senado Federal realizou na última quarta-feira (1º) a eleição para eleger seu novo presidente e integrantes da Mesa Diretora. Como esperado, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito com ampla vantagem, com 61 votos - outros 10 votaram em José Medeiros (PSD-MT) e mais 10 preferiram votar em branco.

Além do novo presidente, a Mesa Diretora também foi eleita:

Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) 1º vice-presidente

José Alberto Souza (PMDB-MA) 2º vice-presidente

José Pimentel (PT-CE) 1º secretário

Gladson Cameli (PP-AC) 2º secretário

Antonio Carlos Valadares (PSB-PB) 3º secretário

Zezé Perrela (PMDB-MG) 4º secretário

Com a saída de Renan Calheiros, investigado e denunciado na Lava Jato em inúmeros processos, poderia se imaginar que daria um refresco para a imagem do Senado.

Publicidade
Publicidade

Mas não é bem isso que acontece.

Eunício também é investigado na Lava Jato, citado em três delações, e aparece nas planilhas de propina da Odebrecht como "Índio".

Além dele, Gladson Cameli também é investigado pela Operação Lava Jato, já João Alberto Souza foi convocado para ser testemunha de defesa do senador Gim Argello, preso pela Operação.

O petista José Pimentel responde a inquérito na Operação Zelotes. O tucano Cássio Cunha Lima já tem no seu histórico uma condenação por crime eleitoral, além de ser atualmente investigado por crimes contra a ordem tributária e formação de quadrilha. Perrella é acusado de improbidade administrativa em Minas Gerais. #Dentro da política