“Era uma vez um país chamado Brasil” é o que têm falado muitos críticos, desde que Michel Temer e seus parceiros assumiram o poder no Planalto Central; entretanto, outros milhões de brasileiros também estão dizendo que é justamente agora que o Brasil volta a percorrer os trilhos do progresso e desenvolvimento. Será mesmo? Fato é que não é bem isso que os acontecimentos catastróficos registrados nos quatros cantos da nação comprovam a todos, independente da ideologia política de cada um. Tem havido, cada vez mais, uma verdadeira polarização entre direita e esquerda e, neste momento, o principal prejudicado é o povo do Brasil que, infelizmente, assiste de platéia a sua própria desgraça, com a perda dos direitos básicos que um governo democrático deveria oferecer aos seus cidadãos.

Por exemplo, mais um incidente com palavras duras acabou sendo protagonizado pelo controverso e não muito eficaz #Alexandre de Moraes, ministro da Justiça de Temer (vide a crise no sistema prisional brasileiro, entre outros fatos), que agora é mais um dos candidatos que pleiteia se tornar ministro do STF - Supremo Tribunal Federal.

Publicidade
Publicidade

O curioso, se não fosse desaconselhável em tudo o que vem acontecendo no Brasil, é que um político que, acima de tudo, deveria assumir uma postura de cumprimento das leis da Constituição Federal e ser um incentivador do espírito de união e reconstrução nacionais, parece se empenhar em fazer justamente o contrário com as suas frases polêmicas e irônicas, não contribuindo com nenhum valor agregado a ninguém.

O foco do artigo não é determinar qual parlamentar está certo ou errado, para isso, os próprios leitores devem ser maduros para tecer suas opiniões, mediante a observação contundente do que está acontecendo ao redor de cada um. No entanto, em um vídeo que vem sendo bastante divulgado nos últimos dias nas redes sociais e web em geral, Moraes, ao palestrar em 2016 em uma faculdade paulistana para os alunos, fez a absoluta questão de classificar o #PT – Partido dos Trabalhadores como ladrão e corrupto.

Publicidade

A resposta áspera de Alexandre de Moraes foi incitada quando um rapaz da universidade fez uma pergunta no mínimo capciosa ao ministro, sobre como ele lidaria com os indivíduos que participam de manifestações e estão sendo denominados de “petistas, comunistas e baderneiros”, o que na realidade, são pessoas que “têm um ideal diferente do governo golpista”.

Não deu outra, Alexandre, que é professor da USP – Universidade de São Paulo, optou pela resposta contundente, afirmando que o jovem é "simpatizante aqui do governo corrupto, que foi colocado para fora do Brasil pela corrupção, pela falta de vergonha na cara, de quem roubava bilhões e bilhões. O que deveria ter sido praticado pelo PT não era o roubo de bilhões e nem investimentos no porto em Cuba, antes, deveria ter trabalhado pela segurança, investindo em #Presídio".

Por outro lado, para os mais críticos, algumas perguntas insistem em não se calar, tais como: não seria essa uma visão míope do ministro, pois quem foi que construiu os presídios federais de segurança máxima no país? No governo de quem ocorre uma verdadeira implosão dos conceitos de “Ordem e Progresso”, frase da bandeira nacional e qual o motivo de que em 2017, de cada três pessoas desempregadas no mundo, uma será brasileira conforme declaração da OIT – Organização Internacional do Trabalho? E mais, quem pretende vender parte do território nacional para estrangeiros?

Vale frisar que Moraes tem buscado o apoio de diferentes senadores no que diz respeito ao auxílio nas várias perguntas que lhe serão feitas no Congresso, compromisso esse agendado para 22 de fevereiro junto a CCJ - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.

Publicidade

Caso Moraes chegue ao STF, ocupará a função de revisar os processos da Operação Lava Jato. Resta agora uma última pergunta, levando muitos a refletir, a saber: quem conhece o ditado que diz que a “banana está comendo o macaco” ou que significa total inversão de valores?!