O #prefeito de Ariquemes (RO), Thiago Flores (PMDB), diz não estar arrependido de tirar dos livros didáticos das escolas públicas as páginas que mostravam casamento entre dois homens homossexuais. Segundo o prefeito: "Na minha gestão, a prefeitura aderiu a medida de distribuir o material didático, após a retirada das páginas com #ideologia de gênero e evitar mais prejuízo no aprendizado dos alunos. Não me arrependo dessa atitude”.

Ao saber que livros didáticos, que seriam entregues nas escolas municipais, continham conteúdo #LGBT, o prefeito se encarregou de mandar que fossem removidos os livros para que as páginas onde tivesse o assunto sobre união homoafetiva fossem retiradas.

Publicidade
Publicidade

O assunto foi motivo de muita discussão nas redes sociais.

O prefeito ainda afirmou que sua decisão foi tomada junto com a população da cidade, que, segundo o mesmo, não aprovou a ideia de crianças aprenderem sobre tais assuntos nas salas de aulas, por exemplo, casamento entre homossexuais e adoção de crianças pelos mesmos. Thiago ainda disse que: “minha decisão foi participada com todos e não tomada dentro do meu gabinete".

O Ministério Público divulgou os livros que teriam conteúdos com ideologia de gênero, inclusive, um dos assuntos desses livros continha o caso do primeiro casal homossexual a adotar uma criança no Brasil. O MP solicitou que o prefeito voltasse atrás de sua decisão, porém, não obteve sucesso. O MEC (Ministério da Educação) disse que a retirada dos livros é uma afronta e uma ação ilegal, assim como também afirmou a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Publicidade

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL) se manifestou contra a atitude do prefeito de Ariquemes. Em sua página do Facebook, ele escreveu um longo texto sobre o assunto, condenando arduamente a atitude do prefeito. Ele chegou a dizer que “esta decisão é o triunfo da estupidez e da ignorância”. O prefeito rebateu os comentários de Wyllys, dizendo que não sabia se lavava as louças da pia ou se respondia os comentários do deputado. Por fim, o prefeito preferiu lavar as louças.