O presidente Michel #Temer, que quer ter uma conversa com ex-presidentes, anunciou medidas para ajudar a classe média a respirar um pouco melhor durante a crise econômica que afeta a #Economia brasileira. Até porque, quando ele assumiu o seu posto, após o impeachment de Dilma Rousseff, a sua principal promessa foi de que iria alavancar a economia, tirando a população dessa situação que afeta milhões de brasileiros.

Uma de suas primeiras medidas voltadas para esse ponto, foi autorizar a liberação do saldo de contas inativas do FGTS, fazendo com que muitas pessoas que não podiam acessar esse dinheiro, agora consigam ter essa oportunidade.

Publicidade
Publicidade

Assim, quem está apertado em dívidas terá uma mãozinha para sair dessa situação.

Desta vez, além de divulgar que o programa de moradia Minha Casa Minha Vida poderá atender pessoas que tenham uma renda maior do que o limite determinado atualmente, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o #Governo de Temer anunciará um alongamento de dívida daqueles que fizeram um empréstimo consignado, mas que não estão tendo condições de realizar o pagamento. O benefício será tanto para bancos públicos quando privados, e abrangerá não apenas pessoas que ficaram desempregadas.

A equipe econômica do governo avalia que não há como ele fazer o que havia prometido, que é resgatar totalmente a economia, isso porque não há tempo hábil para isso, já que até o fim do mandato dele há somente um pouco mais de um ano.

Publicidade

Até porque anos eleitorais são bem complicados, já que os governantes ficam com limitações de atividades durante a campanha política.

Desta forma, não há como fazer grandes mudanças econômicas, apenas o que ele tem feito, dado alguns jeitinhos de ajudar a população enquanto não saímos dessa crise.

Além do mais, vale lembrar que o presidente ainda precisa lidar com outras situações, como a composição da Câmara, e as investigações da Lava Jato, para fazer com que abale o menos possível o seu governo.

E para nós, que formamos a população brasileira, o que resta é ir tentando nos virar com o que conseguimos para sobreviver em meio ao caos econômico. Atualmente, cerca de 12 milhões de pessoas estão desempregadas no Brasil, um número bastante significativo, fazendo com que seja necessário muito mais do que medidas financeiras paliativas, mas ações que realmente tire nosso país dessa situação.