A temperatura das investigações tende a aumentar, em se tratando da Operação Lava-Jato, considerada a maior operação de combate à #Corrupção em curso, atualmente no Brasil. O juiz responsável pelo comando das investigações em primeira instância, é Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. O procurador da República, no âmbito da Lava-Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, concedeu uma entrevista à imprensa em que revela que a delação premiada da construtora #Odebrecht, poderá proporcionar um verdadeiro "tsunami" na política brasileira. Carlos Fernando é um dos principais negociadores das delações premiadas da força-tarefa.

Publicidade
Publicidade

A entrevista foi concedida no último dia 15 a um veículo de comunicação da imprensa nacional.

Embate com o Supremo

O procurador Carlos Fernando afirmou categoricamente, em resposta a magistrados do Supremo que dizem que há um excesso de prisões preventivas na Lava-Jato, que isto não ocorre, já que as decisões do juiz Sérgio Moro, são referendadas em sua grande maioria, por tribunais superiores. O procurador acredita que criminosos de "colarinho branco" possuem uma quantidade muita alta de recursos, ou seja, constatando que há abusos. Carlos Fernando concorda que excesso de prisões há para crimes menores, como furtos e mulas de tráfico. Entretanto, o procurador acredita que deveria sim, aumentar o número de prisões preventivas para crimes de corrupção, em se tratando de crimes de "colarinho branco".

Publicidade

Ele afirma ainda, de modo contundente, que o juiz Sérgio Moro é muito eficiente. Em relação ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o procurador Carlos Fernando afirma que incomoda, quando ocorre uma "manipulação ideológica" da realidade, em que se tenta colocar que "há uma perseguição política de um grupo A ou B", ressaltou.

Carlos Fernando dos Santos Lima faz uma revelação surpreendente, em relação à delação da Odebrecht, pois segundo ele, com a divulgação dos dados da colaboração, percebe-se que a corrupção está em todo o sistema politico brasileiro, tanto em níveis federal, estadual e municipal. Carlos Fernando alerta ainda que a população brasileira enxerga no foro privilegiado, como algo ineficiente, além de ser algo injusto e anti republicano. Ele salienta ainda que a Lava-Jato tem o apoio da sociedade e que as manifestações são importantes para que o povo possa se manifestar democraticamente. Já em relação ao presidente da República, Michel Temer, Carlos Fernando acredita que não vê por parte de Temer, uma tentativa "clara" de se frear as investigações da Operação Lava-Jato. #Lava Jato