Depois de muita discussão, a bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados (uma das maiores da Casa) decidiu apoiar por unanimidade o nome de André Figueiredo (PDT) para a Presidência da Câmara. A votação está marcada para às 9h de quinta-feira (2). O partido estava envolvido há dias em debates internos por não concordar em apoiar deputados que tenham votado pelo afastamento da presidenta da República eleita, e afastada por meio do processo de impeachment, Dilma Rousseff.

A reunião da bancada do PT na Câmara ocorreu na tarde desta terça-feira (31) e terminou já no início da noite, pondo fim às especulações sobre qual posição adotaria na eleição dos membros da Mesa Diretora.

Publicidade
Publicidade

Segundo matéria publicada no site da bancada, o líder do PT na Casa, deputado Carlos Zarattini (SP), afirmou que a decisão é “um gesto de unidade das forças de oposição, das forças de esquerda na luta por uma Câmara mais democrática”. Isso porque, além do PT e do PDT, PCdoB e Rede estudam o apoio a Figueiredo e a união das quatro siglas em um bloco parlamentar, com o objetivo de melhorar suas performances nas eleições de quinta-feira: além do presidente da Casa, serão definidos mais 10 cargos na Mesa Diretora da Câmara.

Também concorrem à presidência Jovair Arantes (PTB-GO), o atual presidente da Casa Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Rogério Rosso (PSD-DF), que chegou a suspender a campanha (mas já voltou atrás) enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) não decidisse se a candidatura de Maia seria ou não aceita.

Publicidade

O STF suspendeu a liminar que impedia a participação de Rodrigo Maia no pleito, mas a decisão final do Supremo só deve sair após a eleição da Câmara.

No Senado, o impasse continua, com o PT se recusando a votar em qualquer um dos pré-candidatos anunciados até agora: tanto o senador José Medeiros (PSD-MT), quanto Eunício Oliveira (PMDB-CE), que desponta como favorito, apoiaram o impedimento de Dilma Rousseff. A eleição no Senado está marcada para às 16h desta quarta-feira (1º). Depois de escolhido o novo presidente, os senadores definirão quem integrará a Mesa Diretora da Casa pelos próximos dois anos. #Crise no Brasil #Congresso Nacional #Política