Você sabe quanto custa um deputado federal? Para começar, devemos entender como é composto o pagamento. Além do salário em si, eles também recebem auxílios e uma verba para o gabinete. Somente o salário é de R$ 33.763,00.

Os auxílios mensais incluem: ajuda de custo de R$ 1.406,79, cotão médio de R$ 39.884,31, auxílio-moradia de R$ 1.608,34 e verba para o gabinete (com até 25 funcionários) no valor de R$ 92 mil. Portanto, o custo mensal de um deputado é de R$ 168.622,44. Já o valor anual é superior a dois milhões de reais – o número exato é R$ 2.023.949,28.

Chegaremos a valores assustadores ao levarmos em consideração que a câmara conta com 513 #deputados.

Publicidade
Publicidade

São mais de R$ 86 milhões mensais (R$ 86.523.831,72) e de UM BILHÃO ANUAL (R$ 1.038.285.980,64).

Para se ter uma ideia, o gasto anual com apenas um deputado seria capaz de custear a presença de mais de 611 crianças em creches durante um ano todo, de acordo com os números divulgados pelo Ministério da Educação em 2016. O valor que o governo repassa por ano por meio do programa Brasil Carinhoso para cada aluno de creche é de R$ 3.308,91.

Entendendo os auxílios

  • Cotão ou Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap)

O valor médio é de R$ 39.884,31, mas os números exatos variam de acordo com cada estado por conta dos preços das passagens aéreas. O menor benefício é do Distrito Federal (R$ 30.416,80) e o maior é Roraima (R$ 45.240,67). Os valores não incluem os pagamentos adicionais de R$ 902,02 feito a cada um dos vice-líderes do governo e da minoria, e de R$ 1.353,04 aos líderes e vice-líderes partidários.

Publicidade

Além da compra de passagens aéreas, o cotão pode ser usado para bancar: alimentação do parlamentar, cota postal e telefônica, fretamento de aeronaves, combustíveis e lubrificantes, consultorias, divulgação do mandato, aluguel e demais despesas do escritório, assinatura de publicações e serviços de TV e internet e contratação de serviços de segurança. Confira abaixo o valor para cada estado:

  • Acre: R$ 44.260,60
  • Alagoas: R$ 40.572,24
  • Amazonas: R$ 43.198,26
  • Amapá: R$ 43.002,92
  • Bahia: R$ 38.638,99
  • Ceará: R$ 42.079,91
  • Distrito Federal: R$ 30.416,80
  • Espírito Santo: R$ 37.052,05
  • Goiás: R$ 35.135,20
  • Maranhão: R$ 41.779,83
  • Mato Grosso: R$ 39.056,17
  • Mato Grosso do Sul: R$ 40.170,98
  • Minas Gerais: R$ 35.720,85
  • Pará: R$ 41.855,59
  • Paraíba: R$ 41.660,70
  • Paraná: R$ 38.500,00
  • Pernambuco: R$ 41.304,94
  • Piauí: R$ 40.599,91
  • Rio de Janeiro: R$ 35.388,11
  • Rio Grande do Norte: R$ 42.360,13
  • Rio Grande do Sul: R$ 40.504,04
  • Rondônia: R$ 43.300,63
  • Roraima: R$ 45.240,67
  • Santa Catarina: R$ 39.505,92
  • São Paulo: R$ 36.671,67
  • Sergipe: R$ 39.767,40
  • Tocantins: R$ 39.131,75

  • Ajuda de custo

Com a extinção do 14° e do 15° salários em 2013, os deputados passaram a receber a ajuda de custo.

Publicidade

O valor médio é de R$ 1.406,79 e é pago duas vezes durante os quatro anos de mandato.

  • Auxílio-moradia

Os políticos têm direito à moradia gratuita. Isso porque, podem morar nos apartamentos funcionais localizados na Asa Sul e Asa Norte, bairros de regiões administrativas de Brasília, no Distrito Federal. Segundo levantamento do site Congresso em Foco, realizado em março de 2016, 319 deputados ocupam os apartamentos. Quem decide por não morar nos no apartamento funcional têm direito a um auxílio mensal de R$ 4.253,00.

  • Outros auxílios

Todos os deputados têm direito ao uso de serviços médicos gratuitos prestados no Departamento Médico (Demed) da Câmara, em Brasília. Quem precisar de um serviço que não é oferecido no local poderá buscar atendimento em outro estabelecimento e pedir o ressarcimento dos gastos.

Há 11 carros oficiais para uso dos seguintes deputados: presidente da Câmara e os outros seis integrantes da mesa (vice e secretários), procurador parlamentar, procuradora da mulher, ouvidor da Casa e presidente do Conselho de Ética. #Custos #Política