Inaugurada em 22 de dezembro de 1957, a Hebraica São Paulo surgiu com o intuito fundar uma nova sociedade, voltada às famílias judaicas de São Paulo. No início dos anos 80, a Hebraica passou a se destacar como a maior instituição judaica em todo o mundo, tornando-se referencial para toda comunidade judaica.

Alguns membros do clube estão tentando evitar que o deputado Jair Messias #bolsonaro realize palestra num evento organizado pelo clube. Um abaixo-assinado criado por Mauro Nadvorny, neste domingo (26), reúne assinaturas com o objetivo de cancelar a participação do deputado no evento.

O documento que pede o cancelamento da palestra argumenta que o parlamentar de extrema direita despreza as minorias, e que os judeus fazem parte delas: "Bolsonaro representa a extrema direita brasileira e em todas oportunidades em que lhe é permitido falar, explora e ataca as minorias entre as quais, nós judeus, nos encontramos", afirma um trecho da nota.

Publicidade
Publicidade

Na petição online promovida no site Change.org, Nadvorny afirma que "tomados pela incredulidade" da participação de Bolsonaro no evento "é impossível ficar passivo diante do convite feito ao deputado" e que isso traria implicações à comunidade judaica brasileira como um todo.

Conhecido por suas posições extremistas, e apoio a ditadura militar, Bolsonaro despertou a rejeição de alguns sócios do clube que o acusam de "homofóbico, misógino, racista e antissemita por natureza e convicção", além de afirmarem que ele representa o neo-nazismo e idolatra torturadores.

As já conhecidas opinões radicais do parlamentar do PSC são rejeitadas até mesmo dentro da própria direita. O MBL - Movimento Brasil Livre, organização de viés liberal, criticou a visão nacionalista e intervencionista de Bolsonaro.

Publicidade

O jornalista Reinaldo Azevedo também teceu críticas diversas vezes por conta de suas posições extremas. Em seu blog ele publicou: "Quem se atém apenas à retórica e ao desempenho circenses do deputado Jair Bolsonaro fica com a falsa idéia de que ele participou de alguma guerra — ou mesmo que combateu o terrorismo de esquerda. Não! Ele nunca deve ter matado nem uma galinha", ironizou. #Polêmica #Política