O juiz federal Sérgio Moro enviou um despacho negando o pedido de liberdade a Eduardo Cunha. De acordo com o juiz, o problema de saúde do ex-deputado não justifica a sua liberdade. Em seu despacho, Moro afirmou que Cunha continua com o mesmo jeito de antes, tentando intimidar, chantagear e ameaçar as pessoas. O juiz disse que o presidente Michel #Temer está sendo vítima desse constrangimento. Cunha tentou relacionar Temer como sua testemunha de defesa e pediu para que se incluísse perguntas sobre o relacionamento do presidente com José Yunes, amigo e assessor dele.

Os advogados do deputado cassado queriam saber se Yunes havia recebido benefícios para a campanha dele próprio ou do PMDB e se as contribuições haviam sido declaradas.

Publicidade
Publicidade

Temer respondeu as indagações por meio de carta ao juízo.

O delator Cláudio Melo Filho comentou, em sua delação, que a Odebrecht repassou R$ 4 milhões ao escritório de José Yunes.

Atitude reprovável

O magistrado brasileiro reprovou a atitude de #Eduardo Cunha. Segundo o juiz, as indagações direcionadas a Temer não podem ser atribuídas aos advogados de defesa, mas ao próprio Cunha. "O Exmo. Sr. Presidente da República foi chantageado por Cunha e se o ex-deputado fosse solto, depois desse episódio de intimidação, a integridade da Justiça seria colocada em questão", comenta o juiz.

Sérgio Moro também ressaltou que o deputado cassado ainda tem poder político, pois conseguiu publicar um artigo, na última quinta-feira (09), alegando que sua prisão era ilegal.

A Lei é para todos

O magistrado relatou em seu despacho, que o mais importante não é a quantidade de prisões, mas sim, a qualidade.

Publicidade

"Hoje, temos presos ilustres, como um ex-presidente da Câmara dos Deputados, um ex-governador de Estado, um ex-Ministro da Fazenda e um dirigente de empreiteira. Se a Justiça não zelar pela lei, ninguém vai zelar", comenta Moro.

O Judiciário é responsável pela firmeza em punir aquelas pessoas que cometem crime e ninguém pode estar acima da lei. Se a Justiça não fizer o papel dela, ninguém irá fazer. #SérgioMoro