Nesta quinta feira (02), foi confirmado como novo relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (#STF), o ministro Edson Fachin. Ele entrou para a segunda turma do colegiado e foi sorteado. Ele conduzirá no Supremo a relatoria da Operação mais famosa do Brasil. De acordo com o juiz federal Sérgio Moro, a Operação só tem a ganhar com a nomeação de Fachin. "É um jurista de grande qualidade e tem se destacado, como magistrado, pela atuação eficiente e independente", afirma Moro.

O ministro Edson Fachin substituirá Teori Zavascki que faleceu vítima de um acidente aéreo. Ele assumirá todos os trabalhos que estavam sob o comando de Teori.

Publicidade
Publicidade

Fachin foi sorteado na Corte, através de um sorteio eletrônico, próprio da Casa. Quem dirigiu o sorteio foi a presidente do STF Cármen Lúcia.

Novato da Corte

O ministro Edson Fachin é o novato do Supremo. Ele foi indicado pela ex-presidente Dilma Rousseff e teve seu nome aprovado pelo Senado, em maio de 2015.

O ministro se destacou em vários momentos de sua vida, como magistrado. Prestigiado no meio jurídico, ele ganhou reconhecimento pela atuação no direito civil e da família. Assuntos polêmicos fizeram parte de suas decisões. Um dos temas polêmicos debatido por ele foi a questão da reforma agrária.

Católico praticante, Fachin condenou movimentos sociais que prezam por violência e criticou os baderneiros que só causam desordem. "Eles merecem o rechaço da ordem jurídica".

Renan Calheiros

O novo relator da Lava Jato já relatou a denúncia protocolada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ex-presidente do Senado Renan Calheiros.

Publicidade

O peemedebista foi acusado de desviar recursos públicos e fraudar empréstimos para justificar pagamento de pensão para sua filha.

Nas investigações, Fachin ressaltou que Renan forneceu informações falsas ao Senado, mostrando que o pagamento da pensão era correto.

Outro caso no Supremo que envolveu Fachin, foi sua decisão de arquivar inquéritos contra José Serra (Ministro das Relações Exteriores), Gilberto Kassab (Ministro das Ciências e Tecnologia) e a senadora Marta Suplicy, sobre o tempo em que eles estiveram à frente da Prefeitura de São Paulo e que trata de reajuste de professores. #SérgioMoro #EdsonFachin