A Operação Lava Jato tende a aumentar a "temperatura política" neste ano de 2017. Os trabalhos da maior operação de combate à corrupção, de que se tem notícia no Brasil, são concentrados principalmente na capital do Paraná. O juiz Sérgio Moro é o responsável pela condução em primeira instância, das investigações que apuram, a princípio, o mega esquema de corrupção que resultou em rombos bilionários nos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras. A Lava-Jato desenvolve o seu trabalho, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. Uma das principais audiências virá à tona, com o depoimento do senador de Alagoas, #Renan Calheiros (PMDB-AL), que deverá ser testemunha de defesa em processo que envolve o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva.

Publicidade

Data marcada

O depoimento de Calheiros foi agendado, por decisão do juiz Sérgio Moro, no dia 15 de março, em audiência marcada para as 11 horas da manhã. A oitiva com Calheiros, deverá ser realizada através de videoconferência. Entretanto, quando Calheiros era presidente do Senado Federal, possuía a prerrogativa de responder aos questionamentos da Lava-Jato por escrito. Porém, com a perda do cargo, ele deverá ser ouvido, a partir de Brasília.

O processo que envolve o ex-presidente Lula, refere-se principalmente, às vantagens indevidas adquiridas pelo ex-presidente junto à empreiteira OAS. Segundo as investigações, trata-se do processo em que Lula é acusado por "forjar" contratos junto à construtora, com relação à compra do apartamento de luxo tríplex, localizado na cidade do Guarujá, no litoral paulista. Além disso, o processo investiga o armazenamento e transporte de objetos subtraídos do Palácio do Alvorada, em que Lula levou condigo, assim que deixou a presidência do país. O próprio ex-mandatário arrolou o senador Renan Calheiros como testemunha de defesa. Na ação penal, Lula tornou-se réu e responde a crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Além desse processo, Lula também é réu em outro processo no âmbito da Lava-Jato que tramita na Justiça Federal do Paraná. Lula é investigado em razão da compra do terreno para a construção da nova sede do Instituto Lula, e também à compra de um imóvel vizinho ao seu apartamento, localizado na cidade de São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo. #Lava Jato