O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), decidiu agir energicamente contra as pichações na capital paulista. Em sua sessão inaugural da legislatura do ano de 2017, o prefeito da maior cidade do país, marcou a sessão, com uma verdadeira "guerra" declarada ao picho. Ultimamente, a #prefeitura vem implementado várias ações de combate às pichações e além disso, o prefeito já restaurou diversos monumentos e símbolos do município que se encontravam deteriorados, muitos dos quais, devido à ação de pichadores. Durante a sessão inaugura da legislatura paulistana, o prefeito foi enfático em aguardar que os vereadores da cidade aprovem uma multa pesada para os pichadores que forem flagrados danificando prédios públicos, embora o prefeito afirmasse que a "pauta da cidade não seria somente relativa ao tema das pichações".

Publicidade
Publicidade

Ações concretas

Uma das principais ações que poderão ser implementadas, de acordo com a aprovação dos vereadores de São Paulo, será a aplicação de multas que podem chegar à quantia de R$ 50 mil. Ao se reunir com parlamentares, João Doria passou a defender como punição para pichadores que forem flagrados cometendo atos de pichação e até mesmo, danificando bens públicos, a obrigação e punição direcionada ao pichador, de ter que arcar com todos os custos de reparos dos locais públicos se tornarem alvos de suas tintas. Ainda segundo o prefeito, as ações "estão sendo estudadas", como por exemplo, a aplicação de R$ 5 mil no primeiro ato de pichação, ou seja, a pessoa que for pega pichando, deverá ser indiciada e responder criminalmente pelo ato, além de ter que pagar uma multa "salgada".

Publicidade

O prefeito ainda considerou que "se o infrator não pagar, sofrerá um processo judicial e se for reincidente, a multa dobra para a quantia de R$ 10 mil", ressaltou o prefeito. Entretanto, oque pode ser ainda "pior" para os pichadores, é que se o alvo das tintas, for monumento público da cidade, seja estadual ou municipal, a multa aplicada se estenderá à cobrança de R$ 50 mil e ainda arcar com os custos do valor da restauração do que for danificado.

Resposta ao vereador Suplicy

O vereador petista Eduardo Suplicy, trouxe à sessão o grafiteiro Mauro Neri, que foi preso na semana passada ao tentar retirar a tinta da Prefeitura em sua obra, na Avenida 23 de maio. Segundo Suplicy, Doria deveria também "pedir desculpas pelas palavras de Doria", em relação ao ex-presidente Lula, que foi chamado de "o maior cara de pau do Brasil". Doria respondeu enfaticamente ao vereador petista e ao grafiteiro: "O que combatemos são os pichadores, não os grafiteiros e nem aos muralistas, que terão um programa de valorização, porém, quanto ao ex-presidente Lula, prefiro não me manifestar, já que vive um drama pessoal, devido à saúde de dona Marisa", concluiu. #João Dória #Governo