Nesta última terça-feira (21), uma comissão especial analisou a PL7180/14 referente ao projeto de Lei "#Escola Sem Partido". Para avaliar juntamente com os deputados, foram convidadas a presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Camila Lanes, e Gelcivânia Mota Silva que é representante da União Nacional dos Dirigentes Municipais da Educação (Undime), ambas falaram contra o projeto de Lei.

Do lado oposto, em prol do "Escola sem Partido", estavam o advogado Felipe Barros Ribeiro e a professora Graça Campagnolo da Universidade Federal do Pará (UFPA). A comissão especial foi presidida por Marcos Rogério (DEM-RO).

Publicidade
Publicidade

O objetivo do "Escola sem Partido" é obrigar que as escolas respeitem as opiniões e convicções de familiares ou responsáveis pelos alunos. Ou seja, impedir que influências ideológicas dos professores atinjam os alunos.

Camila, Feliciano e Bolsonaro

Em um vídeo circulando no canal YouTube, momentos importantes da comissão são mostrados, incluindo a fala da presidente da Ubes. Camila começa dizendo sobre as ocupações nas escolas públicas que marcaram o Brasil no ano passado e consequentemente prejudicou milhares de alunos a realizarem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Camila enfatiza que o movimento não foi feito por "nenhuma doutrinação dos professores", deputados que estavam na bancada riram da jovem. A presidente da Ubes também afirmou que ela era uma das estudantes que ocuparam as escolas e que não foi preciso que nenhum professor intervisse na sua escolha.

Publicidade

Quando Camila se referiu ao momento do impeachment de Dilma Rousseff, ela chamou Dilma de "presidenta", o que arrancou mais risos dos deputados.

Em resposta para os argumentos da jovem, o deputado #Marco Feliciano iniciou seu discurso e disse que chegou a conclusão de que a "esquerda teria se desesperado com o projeto". Ele lembrou que a moça estava com uma camiseta escrito "fora Temer" utilizando isso para mostrar que os argumentos de "não doutrinação" de Camila, seriam chulos.

Como o último deputado a se expressar, #Eduardo Bolsonaro citou que Camila estaria apenas ao lado de um partido político. Ele cita que não está se apresentando os direitos, mas explanando que é em prol de partidos de esquerda.

Bolsonaro disse que a moça enfatiza que representa estudantes, mas aparece em fotos com parlamentares petistas. A postura de Camila também foi criticada pelo deputado, ele fala que a forma como ela se manifesta na comissão, com gestos de deboche, representaria sua forma de conduta dentro da própria casa.

Veja o vídeo com momentos do debate: