A indicação de Alexandre de Moraes como novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) foi uma vontade pessoal de Michel Temer, que preferiu fazer uma escolha política ao invés de técnica. Para ser oficializada, é necessário que Moraes passe por uma sabatina e posteriormente seja realizada uma votação para aprovar ou não a indicação. Segundo Eunício Oliveira, novo presidente do Senado, tudo deve ser resolvido até o dia 22 de fevereiro.

A Comissão de Constituição e Justiça é a responsável por sabatinar o nome indicado. Segundo Eunício, a ideia é instalar a CCJ já na próxima quarta-feira (8). A indicação do nome do presidente da Comissão é feita pelo líder da bancada do PMDB no Senado, Renan Calheiros.

Publicidade
Publicidade

Normalmente, o processo todo de indicação e votação leva cerca de 3 meses, mas pelo modo extraordinário e a necessidade apresentada pela Lava Jato, o processo será acelerado.

Ao ser questionado sobre o nome de Alexandre de Moraes como ministro do STF, Oliveira se limitou a dizer que a escolha é "de livre arbítrio" do presidente. #Dentro da política