Após os advogados da ex-presidente Dilma Rousseff protocolarem, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) intimou o PSDB, partido de #Aécio Neves, para esclarecem doações que a empreiteira Andrade Gutierrez fez para a campanha política do então candidato a presidência, Aécio. O depoimento de Otávio Azevedo, ex-presidente da empreiteira, foi peça chave para o início das investigações.

A defesa de Dilma entrou com um pedido em dezembro do ano passado, os advogados usaram o depoimento de Azevedo em uma ação que investiga a chapa Dilma/Temer na campanha presidencial. Em depoimento, Azevedo disse que se contrariou, afirmando que a doação feita para a campanha do PMDB foi voluntária, nisso ele aproveitou e comentou sobre as doações para o PSDB, que segundo Azevedo, foram de R$ 19 milhões.

Publicidade
Publicidade

Quem também revelou que fez doações a Aécio, foi o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, ele diz que R$ 15 milhões foram usados para a campanha no âmbito do primeiro turno de Aécio. Marcelo disse que pelo valor ser muito alto, ele teria negado o pedido feito pelo próprio Aécio, mas o senador sugeriu que o repasse fosse feito para seus aliados, como uma forma de "mascarar" a ação.

Defesa do PSDB

A defesa do partido disse que as afirmações seriam algo típico do Partido dos Trabalhadores (PT), avaliando que os petistas entraram com o pedido para confundir a opinião pública, agindo de má fé. O partido enviou notas fiscais do acordo com a Andrade Gutierrez, mostrando nas notas os valores recebidos que foram declarados ao TSE. O partido enfatiza que o valor total das doações foi de R$ 19 milhões, sendo que R$ 12,5 milhões foram direcionados para Aécio.

Publicidade

O restante do valor foi para outros candidatos do partido.

Agora o PSDB quer a condenação do PT por ter tentando confundir a opinião pública. Sobre a Odebrecht, o partido não se posicionou. O fato de Otávio Azevedo mudar o seu depoimento, se confundindo com os valores doados para o partido, abriu margem para que os advogados pedissem entrassem com a ação.

Na planilha de propinas da Odebrecht, Aécio é conhecido com o "mineirinho". Odebrecht contou em depoimento como funcionou a doação para o senador. #Dilma Rousseff #Corrupção