Dias após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ter enviado uma lista ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo investigação de diversos aliados de Temer e milhares de pessoas terem ido as ruas contra a Reforma da Previdência tão defendida pelo Governo Temer, o peemedebista afirmou que o Brasil está em "estabilidade política e social".

Em discurso a imprensa no Palácio do Planalto, Michel Temer foi mais uma vez tentar defender a Reforma da Previdência. Segundo disse, o objetivo das medidas é reforçar a "ideia de estabilidade das instituições". Após foi aí que ele soltou a pérola: "Já estamos em clima de estabilidade política e social".

Publicidade
Publicidade

O que o peemedebista parece ter esquecido é da paralisação nacional na última quarta-feira (15), quando mais de 200 mil pessoas foram protestar na Avenida Paulista contra sua reforma. Além de São Paulo, mais de 20 capitais também tiveram greves e protestos contra Temer.

No quesito político, Temer também parece ter esquecido os cinco ministros que compõem a lista de Janot: Eliseu Padilha, Moreira Franco, Aloysio Nunes, Gilberto Kassab e Bruno Araújo. Além de diversos outros aliados, como Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE). #Dentro da política